HÁ 20 ANOS
HÁ 20 ANOS

Macau deve assumir-se como “a ligação Europeia da China”, mantendo as suas relações económicas e culturais com Portugal, para ter um papel de relevo após 1999, defendeu o presidente da Associação de Bancos local, Edmund Ho. “Para que Macau possa ter um papel importante depois de 1999 como parte da China, sob o princípio ‘um país, dois sistemas’, tem de se distinguir como a ligação europeia da China”, disse Edmund Ho, após um encontro com o ministro das Finanças, Sousa Franco. Edmund Ho considera que Macau terá “pouco espaço” para se desenvolver após a integração na China se não assumir um papel de relevo, nomeadamente de ponte entre a região a que pertence e a União Europeia através de Portugal. “Ninguém tem qualquer intenção de cortar as ligações económicas e culturais com Portugal. Claro que, politicamente, Macau será parte da China após 1999, mas as ligações económicas e culturais continuarão por muitas gerações”, sublinhou. Edmund Ho disse que aproveitou o seu encontro com Sousa Franco para “falar longamente” sobre o papel de Macau no próximo século, nomeadamente sobre a forma como o Território deve assumir a sua vocação de “ligação europeia” entre a China e a União Europeia. “Concordamos que este será um papel estratégico muito importante para Macau no futuro, mas temos de transformar isto numa realidade”, referiu. “Acredito que os próximos dois ou três anos corresponderão a um período de muito trabalho para todos nós para que seja possível assegurar que Macau possa ter este papel importante no futuro”, disse.

 

TELEFÉRICO DA GUIA COMEÇA JÁ NO DIA 1

O teleférico da colina da Guia vai abrir ao público em 1 de Outubro e terá um período de 5 dias de funcionamento gratuito, anunciou o Leal Senado. Integrado na reconversão da colina da Guia, onde o Leal Senado investiu cerca de 45 milhões de patacas, o teleférico vai funcionar diariamente entre as 7:30 e as 18:30 e poderá transportar cerca de 500 pessoas por hora num trajecto de 186 metros, que demora apenas um minuto e meio. Para o trajecto entre os dois terminais, o teleférico está equipado com nove cabinas com capacidade para transportar quatro pessoas cada. Depois do período de funcionamento gratuito, os utilizadores do teleférico vão pagar entre três patacas a cinco patacas, conforme efectuem uma ou duas viagens. Numa nota divulgada à Imprensa, o Leal Senado de Macau assinala que a abertura do teleférico “vai proporcionar uma melhoria significativa do acesso ao circuito de manutenção existente na colina da Guia, bem como aos espaços de lazer integrados no projecto de reconversão” daquele espaço.