HÁ 20 ANOS

HÁ 20 ANOS

 

COMISSÃO PREPARATÓRIA

SERÁ CRIADA EM 97

A Comissão Preparatória destinada a estabelecer a Região Administrativa Especial de Macau (RAEM) deverá ser criada no início de 1997, disse ao jornal “Ou Mun” o presidente da Associação Comercial de Macau, Ma Man Kei. O dirigente chinês, que tem assento no Congresso Nacional Popular da República Popular da China, indicou ao jornal que a criação da Comissão Preparatória deverá ser agendada, para discussão, pelo governo de Pequim nos próximos meses, uma vez que “a questão de Hong Kong está finalizada”. Ma Man Kei, o mais alto responsável da hierarquia chinesa em Macau, adiantou que a Comissão Preparatória da RAEM “será bastante menor da que foi nomeada para Hong Kong” e recordou que pelo menos 50 por cento das personalidades que a vão compor serão de Macau. Nas declarações ao jornal pró-Pequim “Ou Mun”, Ma Man Kei considerou como prioritária nos próximos três anos “a estabilidade social e o desenvolvimento económico de Macau”. O dirigente chinês disse ainda que uma das principais tarefas do governo de Macau deverá ser a localização dos quadros da administração pública, uma vez que, ao contrário de Hong Kong, não existem quadros superiores chineses na administração portuguesa do território.

 

D. DOMINGOS LAM EM

MENSAGEM NATALÍCIA

O bispo de Macau, D. Domingos Lam, considerou o Natal uma ocasião propícia para que todos se lembrem do “dever de assumir nas mãos a transformação do mundo”. “O Natal lembra-nos o dever de assumir nas mãos a transformação do mundo e a redacção de novas páginas da história humana, começando no território onde vivemos e estendendo ao mundo inteiro”, sublinhou D. Domingos Lam na sua habitual mensagem por ocasião da quadra natalícia. Para D. Domingos Lam, “celebrar o Natal apenas na igreja não teria sentido completo, pois não se trata só de uma festa religiosa, mas também da festa do mundo, destinada a abrir-se à plenitude da Felicidade na História Humana e na Eternidade”. Admitindo que “muitas vezes, a Fé Cristã serviu como desculpa” para esquecer o mundo e os seus problemas, em nome da “vida que há-de vir”, o bispo de Macau exortou os fiéis a “fazer o bem, evitar o mal”, a “prevenir e remediar crimes” e a “procurar construir uma sociedade mais justa e feliz”. “Assim, crescemos junto com o menino Jesus e com todos os homens, até a estrutura do Homem Perfeito, e entraremos com confiança no terceiro milénio”, conclui D. Domingos Lam na sua mensagem de Natal.