HÁ 20 ANOS
HÁ 20 ANOS

Estações de Rádio de 12 países, incluindo a BBC e a RDP, vão transmitir a ópera “Carmen”, que será interpretada durante o XI Festival Internacional de Música de Macau (FIMM), anunciou a organização. O espectáculo – que constitui um dos destaques do programa do FIMM, a decorrer a partir de sábado até 26 de Outubro – será gravado em Macau no dia 25 e transmitido via satélite e em FM estéreo, a partir de Genebra, pela União Europeia de Rádio-Televisão (UER) para 12 das suas estações associadas. Em conferencia de Imprensa, o director artístico do FIMM, João Pereira Bastos, indicou que o “falso directo” da “Carmen” de Macau será transmitido em 8 de Novembro por estações de rádio da Estónia, Holanda, Noruega, Reino Unido, Islândia, Dinamarca, Hungria, Letónia, Suíça, Estados Unidos, Canadá e Portugal.

 

MENÉRES PIMENTAL SEM PROBLEMAS EM MACAU

O provedor de Justiça, Menéres Pimentel, elogiou a “sabedoria” oriental e portuguesa na condução do processo de transição de Macau, que culminará com a transferência da administração para a China em 1999. O processo de transição “tem decorrido com uma certa sabedoria oriental e também com bastante sabedoria portuguesa”, disse Menéres Pimentel, no final de um encontro de cerca de uma hora com o Governador. O provedor de justiça, que iniciou terça-feira uma visita de dez dias a Macau, Hong Kong e China, encontrava-se acompanhado pelo Alto Comissário contra a Corrupção e Ilegalidade (ACCCIA) local, Mendonça Freitas. Menéres Pimentel admitiu que, em alguns aspectos da transição, “as pessoas podem julgar” que o processo tem “um certo atraso” e referiu, nomeadamente, que ao sistema judiciário de Macau “faltam ainda alguns códigos fundamentais”.

 

CORRERIAS PELO MAR

ATRÁS DOS “ILEGAIS” 

Pela primeira vez desde a implantação da República Popular da China, em 1949, polícia de Macau e da província chinesa de Guangdong, realizaram um exercício conjunto, em mar e terra, de combate à imigração ilegal. Um contingente de 2100 polícias e 69 unidades navais foi mobilizado pelas forças de segurança de Macau e de Guangdong, adjacente ao Território, para um exercício que se desenrolou numa zona marítima localizada ao largo de Macau e na ilha da Lapa. A Polícia Marítima e Fiscal (PMF) de Macau disponibilizou cem polícias, dez lanchas rápidas e cinco lanchas das classes “Bravo” e “Mike”, enquanto as autoridades chinesas mobilizaram dois mil homens e 54 unidades, entre navios de patrulhamento e lanchas rápidas.