HÁ 20 ANOS
HÁ 20 ANOS

Macau poderá contribuir para a expansão da indústria portuguesa de calçado na região da Ásia-Pacífico, considerou o director-geral da Associação Portuguesa de Industriais do Calçado, Componentes e Artigos de Pele e seus Sucedâneos (APICCAPS). O director-geral da APICCAPS, Manuel Silva, que falava durante a abertura da quinta edição da “Asia Pacific Leather Fair 97” mostrou interesse em “procurar parceiros em Macau por forma a valorizar a presença” da indústria portuguesa de calçado na região”. “Não creio que seja possível, vindo a esta feira duas vezes por ano, que nos possamos sedimentar e cimentar aqui uma relação muito forte sem Macau”, afirmou Manuel Silva, sustentando também que a “utilização de parceiros em Macau que possam servir de porta-vozes e agentes é estrategicamente correcta”. O “estabelecimento de parcerias e Macau” será a temática central de um encontro que os responsáveis da APICCAPS vão manter brevemente com os responsáveis do Governo de Macau”, disse. Manuel Silva revelou ainda que a APICCAPS está a estudar a possibilidade de organizar em Macau uma feira de apresentação do calçado português. Actualmente, Portugal já exporta na região asiática para a Malásia, Singapura, Japão e China, mas a grande aposta “a médio prazo” vai concentrar-se na República Popular da China, disse Manuel Silva.

 

QUINZENA DE CINEMA ESGOTA LOTAÇÕES

A quinzena de cinema em português, mais uma vez organizada pelo IPOR, está a decorrer com assinalável êxito, tendo estado esgotadas as três sessões já realizadas, sendo muitos os que não conseguem bilhetes para  os filmes que queriam ver. Ontem, o facto repetiu-se, na apresentação de “Adeus Pai”, um filme de Luís Filipe Rocha, que esteve presente na sessão e foi calorosamente aplaudido após a passagem do filme. O realizador afirmou ter ficado surpreso com o êxito do filme (foi visto por mais de cem mil pessoas em Portugal), que considera “uma história simples” contada com meios financeiros reduzidos. Em boa verdade o filme é bem mais que uma história simples e embora faça muitas vezes sorrir e mesmo rir com gosto, deixa um gosto amargo na boca dos que o vêem, suscitando muitas reflexões sobre as relações (e falta delas) entre pais e filhos. O que justifica que seja aguardada com expectativa o debate que se vai seguir a uma exibição que vai ser efectuada no Liceu de Macau, perante pais e filhos. E vai haver muito para dizer…