HÁ 20 ANOS
HÁ 20 ANOS

André Couto, vice-campeão italiano de Fórmula 3, volta este ano ao circuito da Guia para tentar, ao volante de um Dallara-Opel, preparado pela Spiess, um lugar no pódio do Grande Prémio de Macau. “Temos hipóteses de andar nos três primeiros lugares, mas há vários pilotos bons que irão tentar o mesmo e não me posso esquecer das condicionantes que cada corrida apresenta”, disse André Couto à Lusa, recordando-se das suas duas participações no Grande Prémio de Macau, cujas corridas não chegaram ao fim devido a acidente. André Couto garantiu, no entanto, que irá “dar o máximo para conquistar a melhor posição” no final das duas mangas. André Couto, 20 anos, tornou-se no primeiro piloto de Macau a disputar a corrida de Fórmula 3 e logo no ano de estreia, em 1995, depois de uma temporada na Fórmula Opel, classificou-se no sexto lugar no combinado das duas mangas. Em 1996, o piloto português não foi além do oitavo lugar, depois de ter largado da 12ª posição da grelha, o lugar alcançado devido a um acidente que o arredou dos treinos de qualificação. André Couto, que disputou o campeonato italiano de Fórmula 3 ao volante de um Dallara-Fiat 397, vai competir em Macau com um Dallara-Opel preparado pela Spiess, numa opção que o piloto diz ter “tomado com a equipa” depois de testes efectuados no circuito de Mizano. “Gostei do motor e das suas prestações mesmo em baixas rotações”, disse André Couto, enquanto acompanhava os seus mecânicos na montagem do monolugar. André Couto referiu ainda que outra das razões que levaram a opção pelo motor Opel foi a sua “electrónica mais evoluída””. O piloto português disse que ainda que o piso do circuito “está muito irregular”, apesar de reconhecer as dificuldades” da organização na sua manutenção por ser uma prova de cidade.

 

CHISSANO ACEITOU CONVITE PARA VISITAR MACAU

O presidente da República de Moçambique Joaquim Chissano, admitiu ontem em Maputo que poderá visitar Macau na primavera de 1998, quando efectuar uma deslocação oficial à República Popular da China. “Tenho um convite do Governador para visitar Macau. Aceitei em princípio e os meios diplomáticos vão tratar de fixar as datas apropriadas”, disse Joaquim Chissano, no final de um encontro com Rocha Vieira. Joaquim Chissano referiu, no entanto, que tem prevista uma visita oficial à China em Abril de 1998, admitindo que a deslocação a Macau poderá ocorrer na mesma altura. Rocha Vieira efectua desde o dia 6 uma visita oficial de uma semana a Moçambique a convite do ministro dos Negócios Estrangeiros e Cooperação, Leonardo Simão.