Eva Cabral*

Eva Cabral*

ALEMANHA AINDA TENTA FORMAR GOVERNO – Os resultados das últimas legislativas alemãs deixaram Merkel em dificuldades. A chanceler alemã Angela Merkel e o chefe dos sociais-democratas Martin Schulz prometeram “uma nova política” na Alemanha, no início das negociações para formar governo e terminar com o impasse político. “Não podemos simplesmente continuar como antes, os tempos mudaram e esta nova época apela a uma nova política”, declarou no final do primeiro dia de discussões em Berlim um responsável do Partido social-democrata (SPD), Lars Klingbeil. Os contactos entre os conservadores de Merkel (CDU), os seus aliados bávaros da CSU e o SPD para a eventual formação de um governo de coligação devem prolongar-se até hoje, após as três formações terem manifestado compromisso por “um novo estilo político” no país, e após a emergência da extrema-direita nas eleições de Setembro.

 

ANGOLA AMEAÇA PORTUGAL – As relações com Angola estão complicadas, com a ex-colónia a não entender a independência do poder judicial português. O Presidente Angolano quando questionado pela RTP sobre o que será necessário para que as relações entre Portugal e Angola regressem a níveis de normalidade, respondeu: “apenas um gesto””. E esse gesto, de acordo com o líder angolano, passa por remeter o processo Manuel Vicente, o ex-vice-Presidente o país para Angola. Se isso acontecer “as relações voltam à normalidade” acrescentou João Lourenço. “Não estamos a pedir o arquivamento ou absolvição” do processo que envolve Manuel Vicente, adiantou. Quanto às medidas que poderá tomar caso não exista um despacho favorável a estas pretensões, João Lourenço foi lacónico: “não posso revelar”. “Temos toda a paciência deste mundo. Vamos continuar à espera do desfecho deste caso”, disse.

 

PJ INVESTIGA PERDÃO FISCAL A FILHOS DE VIEIRA – O futebol continua a levar membros do governo a colocarem-se em maus lençóis. Soube-se agora que uma semana após o ministro das Finanças, Mário Centeno, ter pedido bilhetes ao Benfica para assistir ao jogo contra o FC Porto, a empresa gerida pelos filhos de Luís Filipe Vieira teve ‘luz verde’ para a isenção do pagamento de IMI para um prédio situado em Lisboa. A notícia é avançada pelo CM que revela ainda que a Polícia Judiciária já está a investigar o caso. Em causa estava uma isenção de IMI de um prédio em Lisboa comprado para reabilitação, e que agora queriam vender.

 

PORTUGUESES NA CRISE DA VENEZUELA – A situação na Venezuela continua escaldante, e naquele país vive uma enorme comunidade portuguesa. O ministro dos Negócios Estrangeiros disse que constatou as dificuldades que vive a Venezuela e que a comunidade portuguesa, pelas actividades que desenvolve, é das primeiras a senti-las, recomendando sensatez, cuidado e moderação para que sejam passageiras. “Infelizmente vivemos tempos muito difíceis. A Venezuela está hoje com muitas dificuldades e essas dificuldades sentem-se em toda a gente, mas a comunidade portuguesa – porque os portugueses têm muita actividade no pequeno comércio, na distribuição, na pequena indústria – é a primeira não só a perceber que há dificuldades, como a sentir os efeitos dessas dificuldades, disse Augusto Santos Silva, que se encontra em visita oficial naquele país. “É preciso proteger o pequeno comércio e a pequena indústria, e não atacá-los, porque sem comércio e sem distribuição não há alimentos, não há medicamentos. Portanto, é preciso apoiar os pequenos comerciantes”, disse.

 

VIGILÂNCIA COSTEIRA COM RADAR – A vasta costa marítima portuguesa implica problemas de vigilância complexos. O programa “Costa Segura”, que contempla a instalação de câmaras e radares de vigilância na orla costeira portuguesa, vai abranger todo território nacional até ao final deste ano, afirmou o secretário de Estado da Defesa Nacional. Marcos Perestrello considera que o sistema será mais um importante instrumento de apoio em caso de acidentes no mar. “No final deste ano teremos a cobertura total do território com este sistema de vigilância costeiro, permitindo a cada capitão de porto ter mais um instrumento de apoio à decisão para intervir em situações de naufrágio, de queda de homem ao mar ou incidente de poluição”, partilhou o secretário de Estado.

 

ELEIÇÕES NO PSD – No próximo sábado vai ficar-se a conhecer quem é o sucessor de Passos Coelho na liderança do PSD. Santana garante que se ganhar as eleições do próximo dia 13 para a liderança do partido “não fará acordos de Governo com o PS. Nem antes nem depois das eleições”, tal como frisou numa reunião com militantes. Já Rui Rio tem uma opinião diversa o que é pouco mobilizador para quem quer ganhar as eleições. Se nas eleições legislativas marcadas para 2019 for o PS que ganhe, mas sem maioria absoluta, Rui Rio está disposto a dar uma mão e chegar-se ao centro, admitiu o candidato à liderança do PSD, em entrevista ao “Público” e à “Renascença” esta segunda-feira. “Aquilo que me parece mais razoável é nós estarmos dispostos para, a nível parlamentar, suportar um Governo minoritário, seja ele qual for, neste caso o do PS. Que é aquilo que o PS deveria ter feito, suportar de forma crítica naturalmente, mas deixar passar e governar o partido mais votado”, assumiu Rui Rio.

 

* Jornalista. Assessora de Passos Coelho nos XIX e XX Governos Constitucionais.