20141204-22f

A artista Sofia Areal vai ter em exibição cerca de 30 trabalhos na Casa Garden, numa mostra que será inaugurada no final da próxima semana. “113º 55’E – 21º 11’N” é o título da exposição de pintura e desenho que foi concebida propositadamente para ser exibida no território

 

Pedro André Santos

 

Sofia Areal conta já com uma vasta experiência no mundo das artes, tendo exposto não só em Portugal como também fora do país. Chega ao território pela primeira com cerca de 30 trabalhos compreendidos em “113º 55’E – 21º 11’N”, um título que procura ser algo enigmático. “São as coordenadas de Macau, nunca estive nesta latitude/longitude. É quase um título misterioso. Vim porque acho que é importante ver sítios novos, como se fosse uma reciclagem visual”, disse a pintora ao JORNAL TRIBUNA DE MACAU.

A artista adiantou que a exposição será constituída por pintura e desenho e “feita de propósito para Macau”, com trabalhos elaborados também em Lisboa “tendo em mente este local”. A Casa Garden foi o local escolhido para a exposição, sendo um espaço que “atrai muito” a artista, devido à vegetação presente, não só no sítio em si, como também no vizinho Jardim Luís de Camões. “Atrai-me muito as plantas pelo seu lado visceral, o nascer e o morrer, o ciclo completo da vida”, explicou.

A vinda à RAEM, que surgiu a convite da Fundação Oriente, pretende ter também uma dupla missão, abrindo portas para uma futura exposição em Portugal. “Fiz uma proposta de vir fazer trabalhos aqui porque depois da exposição vou ficar até dia 21, e nesses dias vou aproveitar para fazer ainda mais desenhos que irei levar e fazer uma pequena exposição do Oriente em Lisboa”, adiantou a artista.

Sobra a estadia em Macau, território que está a descobrir, Sofia Areal confessa que tem sido uma “surpresa” e “melhor do que aquilo que estava à espera”. “Encontro uma cidade que está em grande crescimento, vejo que há uma preocupação a nível de limpeza que não me parece que seja um hábito tradicional da China em geral. Vejo que há um ambiente cultural muito rico, com muitas coisas a acontecer, e há muita gente empenhada na vida cultural”, referiu.

Sofia Areal deixou ainda em aberto um possível regresso, esperando que esta “pequena exposição incite outras porque estou a gostar muito de estar em Macau”.

O trabalho de Sofia Areal tem como foco principal a pintura e o desenho, trabalhando também noutras formas de expressão, como a cenografia, tapeçaria, desenho gráfico para porcelana e ilustração. A sua formação iniciou-se em Inglaterra, prosseguindo depois em Portugal. A primeira exposição colectiva data de 1982, enquanto que a título individual estreou-se em 1990.

Com inauguração agendada para 12 de Dezembro, “113º 55’E 21º 11’N” irá marcar o inicio de uma série de exposições a nível internacional que continuará em vários países durante os próximos três anos.