Cursos visam reforçar a capacidade dos agentes em termos de língua, etiqueta e conhecimentos culturais

O Governo iniciou cursos de formação no Instituto de Formação Turística para melhorar a capacidade de atendimento das Forças de Segurança na linha da frente. Esta parceria irá incluir ainda a Direcção dos Serviços de Administração e Função Pública e o Instituto Português do Oriente em cursos de língua, etiqueta internacional e conhecimentos históricos. Foram programados oito cursos durante cinco anos para melhorar a capacidade de atendimento e a imagem de Macau

 

Tendo em conta o objectivo do território de se afirmar como Centro Mundial de Turismo e Lazer, a Escola Superior das Forças de Segurança de Macau anunciou o estabelecimento de parcerias com instituições de ensino e organismos da função pública para melhorar a qualidade dos serviços prestados pelos agentes policiais da linha da frente.

De acordo com um comunicado, a Escola Superior das Forças de Segurança de Macau irá colaborar com o Instituto de Formação Turística (IFT), a Direcção dos Serviços de Administração e Função Pública e o Instituto Português do Oriente na oferta de formações em “comunicação, aspecto social e conhecimentos culturais” do território.

Os agentes irão estudar disciplinas como Mandarim, Inglês, Português, Etiqueta Internacional, Técnicas de Atendimento, Gestão de Emoção, História de Macau e Conhecimentos Básicos sobre o Património Mundial de Macau. As autoridades esperam que, através desta iniciativa, os agentes possam melhorar as suas capacidades de atendimento em termos de língua, etiqueta internacional e conhecimentos culturais.

Apesar de estarem direccionadas para os polícias da linha da frente que desempenhem funções nos Serviços de Migração ou que estejam destacados para os pontos turísticos, as acções de formação também podem ser frequentadas por outros agentes interessados. Os cursos serão leccionados por formadores profissionais dessas instituições tendo como base métodos de ensino interactivos e diversificados, sublinhou a Escola Superior das Forças de Segurança de Macau.

Desde Novembro já foram criadas duas turmas com aulas no IFT e a partir de 2016 serão constituídas, todos os anos, oito turmas de formação com 70 horas de aulas. No final da formação, os agentes que concluírem com aproveitamento o curso receberão um diploma.

Este projecto estará em vigor, ininterruptamente, durante cinco anos para que se formem agentes capazes e em número suficiente para lidar com a realidade de Macau como cidade turística. A Escola Superior das Forças de Segurança acredita que os cursos permitirão ao corpo policial acompanhar o desenvolvimento da sociedade e atenuar a pressão sentida, tanto a nível da população residentes como da população turística. Assim, os agentes poderão responder às perguntas dos turistas e prestar o apoio necessário a nível de conhecimentos históricos com proficiência linguística e técnicas para lidar com diferentes situações que venham a surgir.

Por outro lado, os cursos de formação poderão melhorar a imagem das Forças de Segurança de Macau e a auto-estima dos agentes, o que consequentemente contribui para uma melhoria da imagem do território como cidade de lazer e turismo.