20131129-110f
Cesário esteve em encontro do “LusoTalentos” na residência consular

 

Arrancou ontem a segunda edição do “LusoTalentos”, que levou à residência consular o secretário de Estado das Comunidades Portuguesas

 

Pedro André Santos

 

José Cesário está em Macau para dar o seu apoio à segunda edição do “LusoTalentos”, evento organizado pelo Observatório dos Luso-descendentes que visa estabelecer ligações entre as comunidades. O secretário de Estado das Comunidades Portuguesas sublinhou a relevância de uma iniciativa que se estreia fora de Portugal, e que será de grande valor acrescentado. “Há um aspecto muito importante que me traz aqui, que é a ligação de Macau ao plano de incentivo à leitura que lançámos este ano, e que vai obviamente considerar diversas instituições em Portugal que se dedicam ao ensino do português”, disse José Cesário ao JTM, destacando, por outro lado, “a importância de Macau no contexto das políticas viradas para as comunidades portuguesas”.

De acordo com o responsável, Macau está inserido no “maior plano realizado alguma vez em Portugal virado para o incentivo à leitura para crianças e para jovens”, que contemplou a aquisição de 700 mini-bibliotecas “integralmente constituídas por livros de autores portugueses e alguns lusófonos”, para promover o gosto pela leitura na língua portuguesa.

Nesse sentido, serão entregues 15 mini bibliotecas à Escola Portuguesa de Macau e escolas luso-chinesas, no domingo, cabendo a cada entidade utilizar os livros para desenvolver projectos de grupo e leituras. Para mais tarde está também programado um encontro, em forma de “workshops”, com alguns dos autores das obras.

José Cesário falou à margem da inauguração da exposição “Os portugueses esquecidos do Oriente”, de Joaquim Magalhães de Castro, acompanhada da exibição do documentário “Bayingyi, a outra face da Birmânia”, ontem, na residência consular.

O programa dedicado ao “LusoTalentos” arrancou com uma sessão de pintura ao vivo no jardim do Consulado de Portugal. Durante quatro dias, os artistas Carlos Farinha e Fortes Pakeong vão construir uma imagem que, de forma simbólica, irá representar a junção da cultura portuguesa e chinesa.

À noite, houve a exibição do filme “A Gaiola Dourada” (ver peça em baixo), seguida de um debate com a presença dos realizadores Ivo Ferreira e Tomé Quadros.

Hoje irá decorrer o lançamento do livro “Tesouros de Macau”, às 18:00, na Livraria Portuguesa, seguindo-se o Fórum LusoTalentos 2013, às 19:00, no Clube Militar, e um concurso de cocktails, no mesmo local, pelas 21:30.