De acordo com um despacho do Chefe do Executivo divulgado ontem, Lei Wai Nong foi nomeado para exercer o cargo de vice-presidente do Conselho de Administração do Instituto para os Assuntos Cívicos e Municipais (IACM), por um período de dois anos, a partir de 1 de Janeiro de 2016. Lei Wai Nong foi suspenso preventivamente desse cargo devido ao seu envolvimento no processo das “campas” em Junho de 2013, juntamente com Raymond Tam. Ao contrário de Lei Wai Nong, não existe qualquer documento semelhante relativamente a Raymond Tam, que também foi inocentado das suspeitas de prevaricação pelo Tribunal de Segunda Instância (TSI) no mesmo caso. A Secretária para a Administração e Justiça, Sónia Chan, afirmou anteriormente que Raymond Tam voltará ao IACM como técnico superior, pelo facto do cargo de presidente estar a ser actualmente ocupado por Alex Vong. Os dois antigos responsáveis do IACM foram suspensos até final de Novembro de 2015, depois do TSI ter confirmado a decisão do Tribunal Judicial de Base (TJB), que absolveu Raymond Tam, Lei Wai Nong e outros três funcionários do IACM. A assistente do processo e autora do recurso da decisão do TJB, Paulina Santos tem-se manifestado publicamente contra a sentença, acusando o TSI na sua página pessoal de Facebook de não ter analisado “provas documentais”. “Regista-se que o TSI não apreciou os fundamentos e as provas documentais referidas, pois concordou com a decisão do TJB e não publicou no seu acórdão nada sobre os fundamentos e provas documentais constantes no recurso da assistente”, disse a advogada.