A Associação de Patinagem de Macau tem vindo a trabalhar com afinco no sentido de renovar o hóquei local, contando apresentar no próximo ano uma equipa de juniores com qualidade para se mostrar competitiva nos torneios internacionais. Em relação aos seniores, espera-se que o campeonato arranque em Maio, de acordo com António Aguiar, presidente da associação

 

Pedro André Santos

 

A falta de espaços para treinar há muito que tem sido um problema para o hóquei, mas não tem impedido a modalidade de se expandir, quer em quantidade, com mais praticantes, quer em qualidade, fruto do trabalho de preparação feito pela Associação de Patinagem de Macau. Apesar das dificuldades notórias, a associação tem continuado a apostar forte no futuro, contando actualmente com cerca de 500 jovens que poderão vir a garantir um futuro risonho para as várias variantes do hóquei.

“Temos uma fornada de cerca de 10 a 12 miúdos que já têm capacidade para começar a jogar nos seniores. Isto já é o fruto do trabalho dos últimos anos e esse é o grande objectivo”, disse António Aguiar ao Jornal TRIBUNA DE MACAU.

O presidente da Associação de Patinagem de Macau (APM) acredita que no próximo ano haverá condições para formar uma equipa de juniores de sub-20 “para poder participar em torneios lá fora”, ao mesmo temo que se faz uma “renovação” da equipa de seniores, cujos jogadores, para além da questão da idade, também não têm muito tempo disponível. “Adoptámos um princípio em que, ao contrário do futebol, fazemos a preparação da selecção o ano inteiro, e não um mês antes de acontecer um evento. Preferimos privilegiar a pequenada porque esses só têm mesmo as competições, ainda não estamos na fase de os levar a campeonatos do mundo ou torneios internacionais”, disse António Aguiar, falando sobre o estado actual da modalidade.

Nesse sentido, e depois de no ano passado terem feito um campeonato de hóquei em linha nas categorias de sub-12 e sub-16, tornou-se possível acrescentar mais duas categorias para este ano, de sub-13 e sub-17. “Temos quatro equipas em cada uma destas categorias, a Casa de Portugal, o FC Porto de Macau, o Colégio Anglicano e uma equipa da Associação de Patinagem. O campeonato decorre a duas voltas, todos os sábados, entre as 15:30 e as 18:00, no pavilhão da Taipa”, referiu.

Sobre a categoria de seniores, o presidente da APM acredita que o campeonato poderá arrancar em Maio. Igualmente nesta categoria, e em termos internacionais, o responsável espera poder fazer alguns jogos de preparação com a equipa da China-Taipé, havendo ainda a possibilidade de trazer a Macau as selecções de Portugal e Moçambique para “fazer um pequeno estágio de adaptação durante alguns dias”.

E se as coisas parecem bem encaminhadas em termos do hóquei em linha, o desafio aparenta ser bem maior em relação ao hóquei em patins. “Neste momento estamos com mais de 30 miúdos nas nossas escolas, mas ainda estão um bocadinho longe [dos objectivos], porque têm entre 8 e 12 anos, e precisamos de três a quatro anos para estarem preparados para substituir os seniores do hóquei em patins”, considerou.

António Aguiar não tem dúvidas que, em relação ao futuro, “o trabalho está a ser feito” por parte do organismo que preside, embora as limitações físicas continuem a ser o obstáculo maior. “Tomara eu ter mais espaços. Neste momento tenho turmas com mais de 30 miúdos, o que é um exagero. Precisava de mais horas. Fiz um pedido ao Instituto do Desporto para ter mais horas no pavilhão da Taipa mas não me deram, mantiveram as mesmas, e são as horas que vou ter que utilizar para os campeonatos, treinos da selecção e dos miúdos”, lamentou.