A agência de notação financeira Fitch previu um crescimento de 12% nas receitas de jogo de Macau em 2017, esperando um contributo semelhante do mercado de massas e do segmento VIP nesse aumento

 

As previsões da Fitch tiveram em consideração um eventual agravamento da política monetária e aumento das restrições imobiliárias que possam fazer abrandar o crescimento económico na China. “Esperamos uma contribuição igual do mercado VIP e do mercado de massas para a previsão de crescimento de 12%”, indica uma nota publicada na página de Internet da agência de notação sobre o relatório.

O desempenho do jogo VIP dos casinos de Macau excedeu as expectativas da Fitch, com as receitas deste segmento a crescerem 16,8% no primeiro trimestre, em termos anuais homólogos, atingindo 35.491 milhões de patacas, segundo dados oficiais. De acordo com o “site” da Direcção de Inspecção e Coordenação de Jogos (DICJ), o jogo VIP representou 55,9% das receitas brutas arrecadadas pelos casinos entre Janeiro e Março, contra 54% no primeiro trimestre de 2016.

A percentagem de crescimento do segmento VIP nos primeiros três meses do ano foi o dobro do registado no mercado de massas. As receitas do jogo de massas, incluindo as das “slot machines”, subiram 8,5%, em termos anuais homólogos, para 27.988 milhões de patacas. Trata-se de um sinal positivo para o jogo VIP que, apesar de deter a “fatia de leão”, tem visto a proporção nas receitas totais do sector a diminuir nos últimos anos: em 2016 foi de 53,2%, em 2015, 55,3%, e em 2014, 60,4% – isto quando chegou a ser superior a 77%.

Para a melhoria do desempenho do mercado dos grandes apostadores, a Fitch destacou factores como “a melhoria dos indicadores económicos no interior da China, a habituação dos apostadores às iniciativas de combate à corrupção e ao combate pelas autoridades chinesas ao marketing dos casinos por empresas estrangeiras (até à data com sede fora de Macau)”.

“A receita bruta do jogo VIP tem actualmente um nível similar ao de 2010”, adiantou a agência, indicando que “há uma boa margem de crescimento”.

A Fitch afirmou esperar que os investimentos fixos na China, um importante motor para o jogo VIP, cresçam 4,3% em 2017, abaixo dos 5,7% em 2016. Mas sublinhou “a natureza opaca” deste segmento, o que justifica uma análise cautelosa.

Já no que respeita ao mercado de massas, a agência de notação referiu que este segmento vai ser impulsionado pelos “gastos saudáveis dos consumidores”, para os quais a Fitch previu “um crescimento de 7,5%” este ano, e pelo “aumento da capacidade de alojamento, que “incentiva a estadas mais longas”.

Além de apontar que o mercado de massas continua por desenvolver na região da Ásia-Pacífico, a Fitch observou também as mais-valias das infra-estruturas em curso em termos de acessibilidade: “Apesar do atraso, os projectos de infra-estruturas pendentes, como a ponte Zhuhai-Hong Kong-Macau, o terminal marítimo da Taipa, a ligação ferroviária ao aeroporto de Zhuhai e o metro ligeiro em Macau deverão tornar a cidade mais acessível”.

 

JTM com Lusa