Já arrancou o segundo Encontro de Mestres de Wushu no território, com a presença de atletas locais e da China para combates com atletas da Tailândia, Turquemenistão, Sérvia, Filipinas, Estados Unidos, Rússia, Brasil, Irão e Bélgica. O Pavilhão Desportivo do Tap Seac é o “epicentro” deste evento que ontem acolheu milhares de cidadãos e visitantes para assistir às várias actividades e combates nas várias categorias

 

Viviana Chan

 

A segunda edição do Encontro de Mestres de Wushu começou ontem com o desafio internacional de combate na categoria “CKF”. O evento realiza-se até domingo, com várias actividades e espectáculos, incluindo convívios familiares, um pouco por toda a cidade. Os fãs desta modalidade desportiva encheram o Pavilhão Desportivo do Tap Seac para assistir aos combates de “Kung Fu”, com a presença de atletas de várias partes do globo:  Tailândia, Turquemenistão, Sérvia, Filipinas, Estados Unidos, Rússia, Brasil, Irão, Bélgica, Macau e China Continental.

Durante a tarde, a Praça da Amizade e o Tap Seac foram palco de várias actividades proporcionando um ambiente dinâmico e divertido, com vários jogos que atraíram muitos visitantes e familiares.

Na cerimónia de abertura, vários tipos de Wushu foram apresentados pelos mestres e os estudantes da Universidade de Desporto de Pequim. Entre o público estava Sonia Lee – uma jovem residente e amante desta modalidade desportiva que não quis perder esta oportunidade para assistir aos combates. Ao Jornal TRIBUNA DE MACAU, a jovem considerou que o Encontro de Mestres de Wushu já se tornou numa das principais actividades de promoção da cultura de Wushu no território. “É interessante ver diferentes tipos de Wushu reunidos numa única actividade. Penso que o Wushu é muito popular e bem reconhecido pelo público”.

Para Tony Chan, a cultura de Wushu é bastante inspiradora na medida em que é uma espécie de “guardiã” da cultura chinesa. “Não sou muito fã de Wushu, mas gosto dos filmes porque são verdadeiros heróis chineses”, disse. “O Wushu não só representa os movimentos de combate, mas também o seu espírito”, considerou.

A este jornal, Fong rasgou vários elogios ao evento, considerando que poderá ser uma forma de motivas mais pessoas a aderir a esta prática desportiva.

As “Danças de Dragão e de Leão”, “Campeonato de Kung Fu – Desafio Internacional de Macau”, “Competição Internacional de Taolu (combate coreografado)” e “Parada de Wushu” são algumas das actividades principais desta edição.

No último dia do evento terá lugar uma Parada e Danças de Dragão e Leão, com a contribuição das equipas e outros participantes que irão contribuir para uma atmosfera colorida e animada. O percurso da parada tem ponto de partida no Largo do Senado, com paragens noutros lugares da zona histórica como as Ruínas de São Paulo, Albergue da Santa Casa da Misericórdia, entre outros, terminando na Praça do Tap Seac.