Três dezenas de pontos de controlo de velocidade, incluindo mais de 600 radares de videovigilância contribuíram para que em 2016 se registassem menos 6.000 casos de excesso de velocidade do que no ano anterior. Ainda assim, a Direcção dos Serviços para os Assuntos de Tráfego pretende adicionar mais equipamentos ainda este ano

 

Rima Cui

 

Actualmente estão em funcionamento 604 radares espalhados por 34 pontos nas principais estradas no território e a Direcção dos Serviços para os Assuntos de Tráfego (DSAT) pretende, este ano, instalar mais equipamentos deste género em pontos diferentes, incluindo as três pontes que ligam a Península à Taipa, quatro túneis e vários cruzamentos onde o risco de acidente é elevado.

Para melhor perceber as vias que precisam de ter um controlo e supervisão mais apertado, a DSAT vai realizar inspecções a par do Corpo de Polícia de Segurança Pública (CPSP), auscultando mais opiniões, garantiu o organismo ao jornal “Ou Mun”, acrescentando que serão lançadas “medidas viáveis” tendo em conta a situação concreta de cada uma das estradas.

Segundo dados divulgados pelo CPSP, até Novembro do ano passado registaram-se 15.008 casos relacionados com excesso de velocidade nas vias públicas e nas três pontes, menos quase 6.000 ocorrências, quando comparado com 2015.

O aumento do número de pontos de controlo da velocidade está a ter efeito também na Ponte Nobre de Carvalho onde 303 veículos seguiram em excesso de velocidade, entre Janeiro e Novembro de 2016. No mesmo período de 2015 tinham sido identificados apenas três casos deste género.

Entre os 34 pontos de detecção do excesso de velocidade, oito estão situados na Ponte da Amizade, seis na Ponte de Sai Van e dois na mais antiga ligação entre Macau e a Taipa.

Apesar de a realização de algumas obras ter obrigado à suspensão temporária de um ou dois radares, até ontem, já todos voltaram a funcionar normalmente, garantiu a DSAT ao JORNAL TRIBUNA DE MACAU. O organismo referiu ainda que vai alterar, em breve, o modo de registo das ocorrências no site, pelo que o número apresentado poderá ser diferente.

Recorde-se que o último avanço nessa matéria deu-se em Agosto do ano passado, altura em que entraram em funcionamento seis pontos de controlo de velocidade e 108 radares, renovados ou adicionados.

O projecto de renovação destes sistemas deveria ter ficado concluído no final de 2014, tendo a DSAT justificado o atraso com alterações feitas às máquinas entregues pelos fornecedores.

Por outro lado, segundo o anúncio de concurso público para o efeito, a Ponte de Sai Van vai ter sete pontos de detecção de velocidade e 80 radares. No entanto, a DSAT explicou que as exigências previstas no concurso público eram “as mínimas” sendo o plano do fornecedor “melhor” que o do Governo.