Oito suspeitos de um alegado grupo de usura, que operava no território desde 2012, foram detidos mas a Polícia Judiciária acredita que pelo menos 10 suspeitos, incluindo os cabecilhas, estão em fuga. Além disso, estão também sob investigação dois casos de furto em templos de Coloane cujos prejuízos chegam às três mil patacas

 

A Polícia Judiciária (PJ) desmantelou membros de um alegado grupo criminoso por suspeitas de prática de usura no território. Segundo as autoridades, foram detidos oito suspeitos – seis homens, e duas mulheres com idades compreendidas entre os 27 e 45 anos – naturais do Continente chinês, mais concretamente da Província de Jiangxi.

A detenção ocorreu numa fracção do Edifício “Flower City”, na Taipa, onde foram encontrados vários cadernos com registos de montantes de empréstimos ilegais e fotocópias de Bilhetes de Identidade, entre outros. De acordo com as autoridades policiais, os suspeitos terão lucrado com estes actos ilícitos mais de 28 milhões de dólares de Hong Kong.

Por norma, angariavam “vítimas” nos casinos do COTAI, indicou a PJ que suspeita do envolvimento neste grupo criminoso – que operava desde 2012 – de, pelo menos mais 60 indivíduos. Além das recentes oito detenções, a PJ continua a investigar este caso na medida em que estão, em fuga, pelo menos 10 suspeitos, entre os quais, os “cérebros” do grupo.

Noutro caso, as autoridades foram chamadas a responder a uma queixa de furto nos Templos de Tin Hau e de Kun Iam, em Coloane.

Às autoridades, o responsável da Associação dos Moradores de Coloane acredita que os furtos tenham sido praticados por dois suspeitos, depois de terem retirado o dinheiro das caixas de ofertas depositado pelos crentes e visitantes dos templos, deixando apenas algumas moedas.

Neste prisma, as autoridades suspeitam que os dois furtos estejam interligados na medida em que a forma como as duas caixas foram arrombadas é semelhante. De acordo com a PJ, os actos delituosos renderam aos suspeitos três mil patacas mas, segundo o responsável pela associação, o montante pode chegar às nove mil. O caso continua sob investigação.

 

E.L.

 

Ganância conjugal resultou em homicídio

As autoridades policiais descobriram novas informações sobre o caso suspeito de homicídio, que envolve a detenção de um homem de 66 anos que terá esfaqueado a esposa de 71 anos, com quem estava casado há 35 anos. Segundo o jornal “Ou Mun”, o suspeito esfaqueou a mulher 50 vezes, atingindo a cabeça, pescoço e barriga, enquanto esta dormia. A Polícia Judiciária (PJ) apurou ainda que o homem queria vender a casa adquirida pelo casal e, ao mesmo tempo, pretendia ficar com 20% da venda do imóvel. No entanto, a discussão entre o casal intensificou-se depois do suspeito reivindicar que, afinal, queria 50% desse valor já que estava reformado e não tinha muitas posses financeiras.

 

C.P.