Visitas atraíram mais de 70 pessoas a Lai Chi Vun no sábado

Consolidar as estruturas dos estaleiros sem saber o futuro da zona em si é um desperdício de dinheiro público, defendeu ontem Susana Wong. A directora dos Serviços para os Assuntos Marítimos e de Água garantiu ainda que a demolição dos restantes nove estaleiros vai prosseguir, de acordo com a ordem de trabalhos e em comunicação com a DSSOPT

 

Viviana Chan

 

A directora dos Serviços para os Assuntos Marítimos e de Água (DSAMA), Susana Wong, revelou ontem alguns detalhes sobre o processo de demolições em Lai Chi Vun e deu a entender que não “há volta a dar” relativamente ao futuro do conjunto de 11 antigos estaleiros.

À margem do programa Fórum Macau da TDM, Susana Wong adiantou que a demolição de dois estaleiros custou cerca de um milhão de patacas. Além disso, frisou que a consolidação das estruturas dos estaleiros existentes é desnecessária e representaria um desperdício de dinheiro público, quando nem se sabe o que é o próprio Governo pretende fazer na zona de Lai Chi Vun.

Deste modo, indicou que os restantes nove estaleiros irão ser demolidos de acordo com os procedimentos, indo os trabalhos avançar após averiguações com os Serviços das Obras Públicas.

A directora ressalvou ainda que a decisão do futuro da zona não cabe à DSAMA, mas a outros departamentos do Governo como as Obras Públicas. De acordo com o “Ou Mun Tin Toi”, Susana Wong disse que o Instituto Cultural (IC) esteve a fazer estudos sobre as estruturas em terra e no lado do mar, para reservar os dados com valor para posterior análise.

O Governo demoliu dois estaleiros em Lai Chi Vun há duas semanas e desde então duas associações resolveram protestar junto das instalações do IC e outras quatro entregaram uma petição ao Governo pedindo explicações sobre o desenvolvimento de Coloane e Lai Chi Vun. Para além disso, estão em curso dois processos de recolha de assinaturas na internet. O objectivo geral é apelar às autoridades para que preservem os estaleiros e iniciem trabalhos de avaliação do local como património cultural imóvel.

A publicação “All About Macau” organizou no sábado duas visitas guiadas à zona de Lai Chi Vun, actividade que

atraiu mais de 70 pessoas, na sua maioria jovens e famílias. Divididos por três grupos, os participantes foram conhecer a indústria naval em Lai Chi Vun e puderam comprar um mapa explicativo da zona, feito por um artista local.