Falsa segurança ao volante

do autocarro– I

Os autocarros públicos têm sido tema de debates acesos e nem sempre pelas razões habituais, como o facto de estarem frequentemente lotados, ou pelas mais importantes. Por exemplo, uma das questões que devia estar sempre associada ao debate sobre os transportes públicos é o da segurança daqueles que os utilizam todos os dias, incluindo os condutores.

 

Falsa segurança ao volante

do autocarro– II

No entanto, entre os profissionais do volante, há quem opte por apenas simular segurança, talvez para não ser mandado parar pelas autoridades. É o caso de um motorista que, como DE FONTE LIMPA constatou, apenas finge colocar o cinto de segurança. Para quem vê de fora, nada parecerá errado: há uma fita preta que vai do ombro do condutor até à zona da cintura como é suposto. No entanto, no interior do autocarro, é evidente que a extremidade do cinto de segurança está a uma grande distância do local onde é suposto ser encaixado para que, de facto, cumpra a sua função.

 

Estacionamento conveniente – I

Se as obras já dão “dores de cabeça” aos peões, devido ao barulho e equipamentos que complicam a normal circulação nas estradas e nos passeios, o incómodo pode ser ainda maior para os condutores. No entanto, importa respeitar o Código da Estrada e seguir a sinalização temporária.

 

Estacionamento conveniente – II

Ainda assim, há quem arrisque ou então ignore pura e simplesmente os sinais e aja como lhe dá mais jeito. Nas horas de ponta, com o constante “pára-arranca” a funcionar como potencial factor de stress para os condutores, alguns não perdem tempo quando se deparam com a possibilidade de “fugir” dessas situações.

 

Estacionamento conveniente – III

Na avenida junto ao “Studio City”, juntou-se uma longa fila de viaturas, congestionando ainda mais o trânsito até porque estão obras em curso na zona. O problema foi contornado por um condutor que optou por estacionar na via onde não era permitida a circulação, quiçá por ser a forma mais rápida e conveniente de chegar ao destino. Caso se trate de um responsável pela obra ou fiscal, a conveniência aliou-se à obrigação.

 

Japão traz casa assombrada – I

Até ao dia 12 de Novembro, os fãs de terror poderão entrar na primeira casa assombrada criada em Macau pela empresa japonesa TOEI. A “Tokyo Horror Experience”, que traz ao território o lado mais negro do Japão, é uma das novas ofertas do Broadway Macau, cujo site alerta para a proibição de levar sapatos de salto alto. A experiência divide-se em duas partes, “Ruína Japonesa” e “Kominka”, e permite aos participantes sentir o coração a palpitar enquanto percorrem a área de mil metros quadrados. Num contexto inspirado nas ruínas de um hospício abandonado e amaldiçoado, talvez seja mesmo recomendável levar sapatilhas, para o caso de alguém ter de fugir.

 

Japão traz casa assombrada – II

A casa assombrada é inspirada no dia das bruxas, e recria uma atmosfera sombria, com um cenário que faz lembrar filmes de horror nipónicos. Decorado a sangue, pretende despertar o olfacto, a visão e o tacto dos participantes, com arrepios a percorrerem todo o corpo. O objectivo é descobrir porque é que Sakura, uma rapariga, ali desapareceu há vários anos, e quebrar a maldição da casa. O complexo Broadway diz que os eventos de terror organizados pela TOEI já atraíram no total quase um milhão de visitantes. Fica por saber quantos visitantes escaparam…

 

Numa altura em que decorre o 31º Festival Internacional de Música de Macau (FIMM), recuamos hoje até 20 de Outubro de 1989 para recordar um momento marcante na história do evento: a estreia da Orquestra “Macau Sinfonietta”, que apresentou obras de Schubert e Rossini na Igreja de São Lourenço. Sob a direcção do maestro Veiga Jardim, a orquestra actuou com 52 instrumentistas e protagonizou a primeira colaboração musical de Macau no FIMM.

 

Taxistas “adoptam”

paragem de autocarros – I

Uma paragem de autocarros perto da rotunda do Galaxy Macau parece ter sido “adoptada” pelos taxistas. O cidadão que captou a fotografia denunciou o caso no grupo do Facebook “Situação das estradas de Macau”, advertindo que é perigoso para quem sai dos autocarros e provavelmente terá de descer na estrada, porque os taxistas ocupam a paragem. O movimento era tanto que os seguranças do Galaxy se dirigiram ao local para dar indicações aos veículos.

 

Taxistas “adoptam”

paragem de autocarros – II

Esta situação levou o cidadão a questionar se a paragem era uma zona exclusiva do hotel-casino para largada de passageiros. Além disso, garantiu que foram apresentadas queixas, mas não se verificou nenhuma melhoria. Tendo em conta a má imagem dos taxistas, dentro e fora do território, não seria de estranhar se estivessem ali à espera de uma oportunidade para transportar turistas, com o taxímetro desligado e cobrando tarifas excessivas. Afinal de contas, a “Semana Dourada” é quando um taxista quiser…

 

Loja de sushi com “calor” à meia-noite – I

Recentemente, têm surgido cada vez mais lojas de pequena dimensão em Macau como se fossem uma espécie de mini-supermercados de venda de sushi. A possibilidade de pedir “take-away” e a vantagem dos preços serem bastante acessíveis para uma vasta gama de produtos japoneses têm atraído muita clientela e incentivado a população a aderir em força a este tipo de gastronomia.

 

Loja de sushi com “calor” à meia-noite – II

Curiosamente, ao contrário dos restaurantes japoneses que recebem mais clientes aos almoços e jantares, este tipo de lojas enfrenta a sua hora de ponta entre a meia-noite e a uma da manhã. Como é visível pela fotografia, num dia dito normal, jovens formam uma longa fila de espera para comer este sushi vendido numa loja na Zona Norte. A fome era tão grande, que a fila obrigou a deixar a porta sempre aberta…

 

Loja de sushi com “calor” à meia-noite – III

Para deliciar os fãs não falta variedade e os preços são bastante atraentes, já que duas peças de sushi custam apenas sete patacas. Além disso, há sashimi e massa frita – produtos que são mais caros. Para não desperdiçar comida, a loja optou por fazer 50% de desconto em algumas comidas ou aplicar a medida de “comprar um, levar dois”. Às vezes, muitos alunos do ensino secundário também aderem à moda e juntam-se à fila da meia-noite.

 

Ruínas em latas de café – I

O supermercado San Miu na Rua dos Mercadores fez uma “escultura” das Ruínas de São Paulo composta por latas de café da Nestlé. A iniciativa com a imagem de marca do território, pode servir para inspirar tanto os residentes como os turistas na hora de fazer compras. Por sorte, não se viu nenhuma criança reguila em torno destas Ruínas artísticas, que, pelo menos até à saída de FONTE LIMPA daquele supermercado, se mantinham de pé.

 

Ruínas em latas de café – II

Ciente de que Macau é uma cidade turística e conhecida pelos seus monumentos culturais, o proprietário do supermercado pretenderá certamente potenciar aquilo que a RAEM tem de melhor para oferecer, gravando-o na mente das pessoas para sempre. Também é possível que algum dos seus empregados tenha aspirações a arquitecto ou montador profissional de Legos.

 

Macau “concorrido” no Travel2Next –I

Não é segredo para ninguém que a “Semana Dourada” atrai ao território um grande volume de visitantes e este ano não foi excepção, com o número de pessoas que passaram por Macau a ultrapassar um milhão. Para tal, também podem ter contribuído vários artigos sobre a RAEM publicados no site de viagens “Travel2Next” até porque, de acordo com a plataforma online, os textos foram bastante populares nos últimos tempos.

 

Macau “concorrido” no Travel2Next –II

Em grande destaque esteve um texto sobre uma das necessidades básicas de qualquer visitante: onde comer? “Comer em Macau é sempre um desafio tanto para visitantes como locais pela difícil decisão de onde ir a seguir” dada a variedade de escolhas. O artigo explica que desde restaurantes com estrelas “Michelin” a estabelecimentos mais humildes, há oferta para todos os paladares. Para ajudar à escolha, o “Travel2Next” aponta que algumas opções populares incluem gastronomia macaense popular, muito influenciada pela herança portuguesa.

 

Macau “concorrido” no Travel2Next –III

Há espaço ainda para a gastronomia da Província de Guangdong, dada a proximidade geográfica, além de restaurantes japoneses e franceses, reconhecidos pela sua “execução perfeita e ingredientes impecáveis”. Outros artigos muito populares nos últimos dias falam de outras iguarias mais doces, como os pastéis de nata vendidos em muitos espaços.