A Wynn foi alvo de queixas de trabalhadores devido ao fumo em salas de jogo, denunciando alegados casos de cinzeiros retirados das mesas quando chegam os fiscais ou isqueiros dados aos clientes

 

Viviana Chan

 

Apesar da Lei anti-tabagismo pressupor uma melhoria do ambiente de trabalho nos casinos, o fumo parece estar a afectar os “croupiers” da Wynn, que ontem entregaram ao Governo uma petição com queixas.

Uma “croupier” de apelido Tam disse mesmo estar a ser sacrificada em nome das receitas do jogo. “Uma zona da Wynn com problemas de fumo não é um espaço decente para o ser humano. Quanto mais lá trabalho, mais doente fico”, disse.

Em declarações aos jornalistas, os queixosos referiram que a Wynn Macau só tem duas salas de fumo nos espaços comuns de jogo, que ficam muito longe das mesas. Por isso, os fumadores acabam por não respeitar as regras.

Ip Wai, outro “croupier”, disse que trabalha num ambiente miserável, sobretudo quando é destacado para mesas próximas das salas de fumo. “Muitas zonas têm sinais de proibido fumar, mas na realidade ninguém é impedido de fumar. Se apresentamos uma queixa aos Serviços de Saúde, os cinzeiros são escondidos mal chegam os fiscais”, assegurou.

Cerca de uma centena de trabalhadores da Wynn Macau e Wynn Palace chegaram a pedir ajuda à Federação das Associações dos Operários de Macau (FAOM) por causa do fumo problemático dentro dos empreendimentos. Aos jornalistas, Choi Kam Fu, secretário-geral da Associação de Empregados das Empresas de Jogo, indicou que a operadora já foi alvo de queixa em vários serviços públicos, incluindo o Gabinete para a Prevenção e Controlo do Tabagismo e a Direcção de Inspecção e Coordenação de Jogos, mas o problema continua por resolver.

Segundo Choi Kam Fu, a operadora terá permitido fumo nas salas comuns de jogo, sobretudo nas zonas de apostas elevadas.

A petição foi entregue na sede do Governo por uma dezena de “croupiers”, que exigiram o reforço da fiscalização, uma vez que, aparentemente, a operadora não chama a atenção dos clientes quando fumam em zonas proibidas.

“Os casinos devem cumprir a lei e apelar ao cumprimento de outros, não devem tolerar os fumadores. Às vezes, até oferecem isqueiros e ajudam as pessoas a fugir à fiscalização das autoridades”, referiu Choi Kam Fu.