Aspectos da vida em Macau nas décadas de 1960 e 1970 estão reflectidos em centena e meia de fotografias de Lee Kung Kim, expostas até Julho no Museu de Arte

 

Numa iniciativa conjunta com a Associação de Fotógrafos a Preto e Branco de Macau, o Museu de Arte inaugurou ontem a exposição “Amor por Macau-Fotografias de Lee Kung Kim”, apresentando ao público 150 fotografias documentais que têm o território como tema.

Segundo o Instituto Cultural (IC), Lee Kung Kim (1930-2015) nasceu em Meizhou e começou a fotografar nos anos 50, tendo sido presidente da Associação Fotográfica de Macau, “a maior e mais importante” do sector, bem como consultor da Associação de Fotógrafos da China e presidente honorário de diversas associações fotográficas. Dedicou-se à fotografia por mais de meio século e conquistou diversos prémios em inúmeros concursos de fotografia internacionais.

Respeitando os seus desejos e dando o seu apoio à actividade cultural, os seus familiares doaram incondicionalmente todos os seus trabalhos fotográficos, incluindo rolos fotográficos, para integrarem a colecção permanente do Museu de Arte de Macau. Na cerimónia de doação e inauguração da exposição, os presentes receberam um exemplar de um postal de edição limitada “Amor por Macau”, estando ainda disponível para compra o catálogo da mostra patente no Museu de Arte.

Para esta exposição, “150 excelentes obras documentais que tomam Macau como tema foram cuidadosamente seleccionadas e divididas nas séries patriotismo e costumes locais, dando a conhecer aspectos da vida em Macau nas décadas de 1960 e 1970”, explicou o IC, realçando que os trabalhos revelam “um pedaço da verdadeira história” do território e transmitem ao público “profundas impressões da cidade”.

A exposição ficará patente até 9 de Julho, no 1º andar do Museu de Arte, com entrada livre. O Museu abre diariamente entre as 10 e as 19 horas (última admissão às 18:30 horas), encerrando à segunda-feira.