O “pecado capital” com mais expressão em Las Vegas não é o vício do jogo, mas a vaidade. Num estudo que abrange 182 cidades dos EUA, Las Vegas aparece como a que mais afronta a moral cristã tradicional

 

Uma classificação realizada a partir de dados estatísticos sobre actividades associadas aos “pecados capitais” da moral cristã tradicional aponta para Las Vegas, Orlando e Miami como as três cidades “mais pecadoras” dos EUA.

Realizado pela empresa de consultadoria “WalletHub”, o estudo “As Cidades Mais Pecadoras da América 2017” baseou-se em diversos critérios, como a quantidade de crimes violentos per capita e o consumo excessivo de álcool, que medem as 182 cidades mais “impuras” do país. Segundo a agência EFE, Las Vegas, “a cidade que nunca dorme”, lidera a tabela dos pecados capitais com uma pontuação de 59,53.

A abundância de salões de beleza, centros de bronzeamento per capita e procuras no Google da expressão “Top 5 em operações estéticas” torna a vaidade, e não o jogo, no pecado predominante em Las Vegas.

Na cobiça, a capital do jogo nos EUA é ultrapassada por Gulfport, no Mississippi, e Reno, em Nevada. Este índice resulta da combinação do número de casinos per capita, acções de caridade em relação ao salário médio da população e a percentagem de habitantes com dependência do jogo.

Os problemas de vício no jogo e os procedimentos judiciais associados aos jogos de azar levam a que se gastem nos EUA 6 mil milhões de dólares americanos, segundo indicou a “WalletHub”.

A cidade mais caridosa de entre as estudadas é Salt Lake City, no Utah, caracterizada por ser a capital dos mórmons, destaca o estudo.

Já na luxúria, é Richmond que ocupa a primeira posição, depois de analisados indicadores como o número de estabelecimentos de entretenimento para adultos em relação à população, o potencial número de pessoas infiéis aos parceiros, o índice de gravidez juvenil e o uso da aplicação de telemóvel “Tinder”.

Charleton é, por sua vez, a cidade com mais vinganças, crimes violentos, sexuais e de assédio escolar, que caracterizam o pecado da ira. Porém, quando isolados, os maiores índices de crimes violentos encontram-se em Detroit e Saint Louis. Irvine, na Califórnia, é a cidade que apresenta menor risco nesse âmbito.

Tendo em consideração os índices de roubos, incluindo o de identidade e fraude, Fort Lauderdale, situada no sul da Flórida, é vista como a cidade mais invejosa do país.

A preguiça foi outro dos pecados humanos em análise, com Providence, em Rhode Island, a mostrar-se a pior no que toca às horas dedicadas a assistir televisão e à quantidade de pessoas que fazem trabalhos voluntários.

Para além destes casos, com a quantidade da população que sofre de obesidade nos EUA, a gula é outro “pecado” que causa preocupação. Os critérios são neste ponto muito abrangentes, incluindo “vícios” e “excessos”, como o consumo de opiáceos, maconha, tabaco e álcool, para além do número de estabelecimentos de “fast-food” e o índice de pessoas acima do peso recomendado.

Madison e Jackson sobem ao pódio no consumo de álcool e número de adultos que não se exercitam, depois de Charleston ganhar nos excessos e vícios.

Orlando é a localização com mais delinquentes sexuais e ocupa a segunda posição na tabela geral.

Tendo em conta o número de visitas de utilizadores registados na rede social “Ashley Madison”, dirigida a pessoas casadas que procuram casos extraconjugais, Miami, terceira na classificação geral, é a número 1 quanto a potenciais infiéis.

 

JTM com Agências Internacionais