Embora o receio de ataques terroristas tenha levado a uma queda expressiva de entradas em 2016, o icónico Louvre, em Paris, manteve o posto de museu mais visitado do mundo. O Museu Colecção Berardo, em Lisboa, surge no 65º lugar

 

O Museu do Louvre sofreu uma quebra de 1,2 milhões de entradas no ano passado, no entanto, voltou a ser o mais visitado do mundo, ao contabilizar 7,4 milhões de visitas, segundo uma pesquisa divulgada pelo “The Art Newspaper”.

A instituição francesa ficou à frente do Museu Metropolitano de Arte, em Nova Iorque, e do Museu Britânico, em Londres, que atraíram sete milhões e 6,4 milhões de visitantes, respectivamente.

A queda no número de turistas no célebre museu parisiense tem sido contínua desde 2014, quando Paris começou a enfrentar uma nova onda de atentados terroristas. Desde então, o sector do turismo tem sofrido constantes quedas nos números, porém, mantêm-se num patamar elevado no contexto mundial.

Gerido pelo Estado francês, o museu instalado no Palácio do Louvre integra no seu espólio grandes atracções do panorama cultural, como a Mona Lisa, Vitória de Samotrácia, Vénus de Milo, para além de valiosas colecções do Egipto antigo e da civilização greco-romana, bem como obras-primas de mestres europeus, desde Rembrandt a Goya.

Segundo a mesma publicação internacional especializada em arte contemporânea, a Galeria Nacional, de Londres, subiu para a quarta posição do “ranking”, com 6,2 milhões de visitantes, enquanto os Museus Vaticanos caíram para quinto, recebendo pouco mais de seis milhões de pessoas.

No “top 10” surgem ainda o “Tate Modern” de Londres (5,8 milhões), Palácio Nacional de Taipé (4,6 milhões), Galeria Nacional de Arte de Washington (4,2 milhões), “Hermitage” de São Petersburgo (4,1 milhões) e o “Reina Sofia” de Madrid (3,6 milhões). O primeiro museu italiano na lista é a “Galleria degli Uffizi”, em Florença, que contabilizou pouco mais de dois milhões de visitantes em 2016.

Por sua vez, o Museu Colecção Berardo, em Lisboa, ocupa o 65º lugar, com 1.006.145 visitantes. De acordo com a lista que o “The Art Newspaper” publica anualmente, aquele museu localizado em Belém, que em 2015 surgiu no 74º lugar com 823.092 entradas, é o único português que entra na lista dos 100 mais visitados do mundo no ano passado.

Desde a inauguração, em Junho de 2007, o Museu Coleção Berardo, instalado no Centro Cultural de Belém, recebeu mais de 6,6 milhões de visitantes das exposições permanentes e temporárias, segundo dados estatísticos da entidade. O museu abriu com um acervo inicial de 862 obras da colecção de arte de José Berardo, cedidas em regime de comodato (empréstimo) ao Estado, até 2016, avaliadas em 316 milhões de euros pela Christie’s, em 2006, acordo esse que foi renegociado com o Governo no ano passado, passando a ser renovável.

A lista do “The Art Newspaper” integra também seis museus do Brasil, nomeadamente nas cidades do Rio de Janeiro, Brasília e São Paulo. O Centro Cultural do Banco do Brasil no Rio de Janeiro está em 26º lugar, com 2.216.880 visitantes, o Centro Cultural do Banco do Brasil em Brasília ocupa o 59º (1.122.826) e o Centro Cultural do Banco do Brasil em São Paulo surge em 68º (965.929).

 

JTM com agências internacionais