A actriz australiana Cate Blanchett vai suceder ao realizador espanhol Pedro Almodóvar como presidente do júri do Festival de Cannes, que decorrerá em Maio. Além do talento da actriz, a escolha também é vista como um sinal de apoio ao combate ao assédio sexual

 

Vencedora de dois Óscares e uma das estrelas de Hollywood mais envolvidas na luta contra o assédio sexual, Cate Blanchett presidirá ao júri da 71ª edição do Festival de Cannes, agendada para o período de 8 a 19 de Maio.

A actriz australiana, de 48 anos, será a 12ª mulher a liderar o júri do Festival de Cannes, um dos mais tradicionais do mundo, quatro anos depois da realizadora neozelandesa Jane Campion. Blanchett substitui o cineasta espanhol Pedro Almodóvar, que no ano passado liderou o júri que concedeu a Palma de Ouro ao sueco Ruben Ostlund por “The Square”.

“Há anos que vou a Cannes como actriz, como produtora, para as noites de gala e sessões de competição, inclusive pelo mercado. Mas ainda não fui pelo mero prazer de aproveitar a abundância de filmes deste grande festival”, afirmou a estrela em comunicado.

Os organizadores do certame destacaram o facto de Cate Blanchett ser uma artista “singular cujo talento e convicções” ficaram patentes tanto nas telas de cinema como nos palcos teatrais. “Estamos muito felizes de acolher uma artista rara e singular cujo talento e convicções irrigam as telas de cinema e os palcos de teatro. As nossas conversas, neste Outono, prometem uma presidente empenhada, uma mulher apaixonada e uma espectadora generosa”, afirmaram Pierre Lescure, presidente do Festival de Cannes, e Thierry Frémaux, delegado-geral.

Para além de parecer lógica tanto do ponto de vista artístico como mediático, esta escolha também pode ser interpretada como uma vontade do festival de apoiar o combate ao assédio sexual na profissão, depois do escândalo Weinstein ter feito estremecer as estruturas da sétima arte. Cate Blanchett foi uma das primeiras celebridades a condenar publicamente o produtor Harvey Weinstein, acusado desde 5 de Outubro de agressão sexual e violação por mais de uma centena de mulheres.

A actriz australiana acaba de lançar uma fundação, “Time’s Up” (“O tempo acabou”), juntamente com outras estrelas, como Natalie Portman e Meryl Streep, para ajudar as vítimas de assédio sexual. Este projecto contará com um fundo destinado a financiar apoio legal a mulheres e homens vítimas de assédio sexual no trabalho. A organização já arrecadou mais de 13 dos 15 milhões de dólares que fixou como meta.

Blanchett recebeu em 2005 o Óscar de melhor actriz secundário pelo seu papel como Katharine Hepburn em “The Aviator”, e em 2014 ganhou a estatueta na categoria de melhor actriz por “Blue Jasmine”, de Woody Allen. Em 2007, o Festival de Veneza reconheceu-a como melhor actriz pelo desempenho em “I’m Not There”, de Todd Haynes.

Em breve aparecerá no elenco de “Ocean’s 8” e protagonizará “Where’d You Go Bernadette”, a adaptação do romance de Maria Semple, escrita e dirigida por Richard Linklater.

 

JTM com agências internacionais