Está formado o Júri que vai apreciar os trabalhos concorrentes ao Prémio de Jornalismo da Lusofonia, instituído pelo Clube Português de Imprensa (CPI) e pelo Jornal Tribuna de Macau (JTM), com o apoio da Fundação Jorge Álvares.

O Júri será presidido por Dinis de Abreu, em representação do CPI, e integrado pelos jornalistas José Rocha Diniz, fundador e administrador do Jornal Tribuna de Macau, José Carlos de Vasconcelos, director do JL – Jornal de Letras, Artes e Ideias, Carlos Magno, pela Fundação Jorge Álvares e por José António Silva Pires, também do CPI.

Com o valor de 10 mil euros e periodicidade anual, o Prémio de Jornalismo da Lusofonia destina-se, de acordo com o respectivo Regulamento, “a jornalistas e à Imprensa de Língua Portuguesa de todo o Mundo, em suporte papel ou digital”.

Segundo ainda o Regulamento, obrigatoriamente “os trabalhos devem ter Macau como tema principal”.

Este Prémio de Jornalismo da Lusofonia, “surge no quadro do desejado aprofundamento de todos os aspectos ligados à Língua Portuguesa, com relevo para a singularidade do posicionamento de Macau no seu papel de Plataforma de ligação entre países de Língua Oficial Portuguesa”.

O prazo de candidatura terminou no passado dia 15, registando-se uma significativa afluência de trabalhos publicados.

A cerimónia de entrega do Prémio ao jornalista vencedor decorrerá, este ano, em Macau, no âmbito das comemorações do 35º aniversário do Jornal Tribuna de Macau.