Na recepção promovida pela Câmara Municipal de Lisboa, o presidente do Benfica considerou a conquista do tetracampeonato de futebol como “a vitória de um rumo”

 

Milhares de adeptos receberam em euforia a comitiva “encarnada” nos Paços do Concelho, onde o líder do clube da Luz assumiu que o quarto título consecutivo representou “um sonho tornado realidade”. “Um ano depois aqui estamos a cumprir mais uma vez uma boa tradição. Reflecte a atenção da autarquia pelos clubes de Lisboa e o bom trabalho que fizemos”, disse Luís Filipe Vieira, acrescentando: “É uma vitória de um projecto, de um rumo, de quem olha sobretudo para dentro de si”.

Num salão nobre da Câmara repleto de funcionários da autarquia equipados a rigor, muitos acompanhados pelos filhos, Luís Filipe Vieira fez questão de enaltecer o feito inédito do plantel. “Vocês foram grandes e estão na história do Benfica. Este título tem também uma grande participação dos adeptos, sócios e casas do Benfica. A festa foi bonita. Este ‘tetra’ já ninguém nos tira. O ‘tetra’ fica-nos bem”, frisou.

Acompanhado do capitão de equipa, Luisão, o presidente do Benfica entregou uma camisola do clube com o número 36, autografada por todos os jogadores, ao autarca de Lisboa, que aproveitou a ocasião para “pedir” também a conquista da Taça de Portugal. “Desejo que daqui a duas semanas Lisboa possa celebrar nova conquista do Benfica: a Taça de Portugal”, afirmou Fernando Medina.

Enfatizando o “tetra” como uma “conquista histórica”, assente na “liderança e na organização” dos ‘encarnados’, o edil lisboeta homenageou pessoalmente Luisão e Luís Filipe Vieira. Distribuiu ainda estatuetas encarnadas de Santo António a todos os jogadores, além de uma moto em miniatura para Eliseu, depois dos famosos festejos do lateral na conquista do título.

Por sua vez, o administrador da SAD do Benfica, Rui Costa, admitiu que o clube já está a preparar-se para “trabalhar” para a conquista de um quinto título nacional de futebol consecutivo. “Ainda não se acabou de festejar o ’36’ e já estão a pedir o ’37’. Também é isto que nos move e nos faz ser mais fortes. Nesta casa ninguém se contenta com nada. Há mais campeonatos pela frente que queremos ganhar. Penta? Vamos trabalhar para isso”, disse.

Na análise a um título que considerou “mais do que merecido” e “muito saboroso”, Rui Costa evitou pronunciar-se sobre os rivais FC Porto e Sporting: “Vemos as coisas boas do nosso clube e as coisas más. E sempre que vimos coisas más tentamos emendar”.

 

Bas Dost e Rui Vitória eleitos os melhores do ano

O holandês Bas Dost (Sporting) foi eleito o futebolista do ano da I Liga pelo Clube Nacional de Imprensa Desportiva (CNID), o seu colega Gelson Martins a revelação do ano e Rui Vitória (Benfica) o treinador do ano. Na votação para futebolista do ano, o avançado dos “leões” venceu com 45% dos votos, seguido do médio Pizzi, com 21, e do guarda-redes Ederson, com 15, ambos do Benfica. Quanto à votação para o prémio revelação, Gelson Martins obteve 63%, seguido por Gil Dias, do Rio Ave, com 21, e de André Silva, do FC Porto, com nove.

 

JTM com Lusa