Os números e as classificações não escondem: na “rota” do “penta”, o Benfica foi perdulário enquanto os rivais dobraram o calendário da I Liga Portuguesa sem conhecer a derrota

 

Costa Santos Sr*

 

A primeira volta da I Liga portuguesa, para além de mostrar que “dragões” e “leões”, ainda invictos, jogam tudo na conquista do título, também ficará na história como a de uma “guerra fria” entre dirigentes, como a dos “vouchers” e dos e-mails e até como a das investigações a possíveis resultados “fabricados”. Um cenário negro, indesejável e, mais do que isso, impensável. Razões? Várias, umas que saltam aos olhos do amante do futebol e outras que escapam aos espíritos mais atentos.

As guerras entre dirigentes são fruto de todos quererem chegar aos patamares do poder. Principalmente os dois clubes que, nos últimos anos andaram arredios dessas conquistas – FC Porto e Sporting – e agradeceram as “bombas” que alguém denunciou (os “vouchers”) para, desde logo, iniciar a batalha verbal, dia a dia mais condimentada com factos novos, com os e-mails (cuja veracidade está sob investigação) e que, segundo alguns juristas, “alguns, a serem verdadeiros, poderão configurar tráfico de influências”. Depois, o VAR e as suas decisões (ou falta delas) a alimentarem o clima de instabilidade; por último, a entrada em “cena” dos técnicos, com Sérgio Conceição, numa recente conferência de imprensa, a rotular, de forma bem objectiva, Rui Vitória, como “um boneco que o filho tem onde se carrega num botão para fazer o que se quer”.

É verdade que os responsáveis pelo órgão dirigente da classe dos treinadores já veio a terreiro pedir “respeito”, mas veremos se resulta.

Paralelamente a tudo isto, o Benfica fez a travessia do deserto na Liga dos Campeões, “perdeu-se” nas Taças da Liga e de Portugal e virou a “página” da I Liga a cinco pontos dos “dragões” e três dos “leões”. No tal ano do “penta”, esta postura resulta, acima de tudo, de uma má programação da época e de uma, ainda pior, gestão do plantel. Recordam-se das vendas feitas no mercado de Agosto, algumas mesmo já com o campeonato a decorrer? Lembram-se do “esfrangalhar” do sector defensivo? Do enfraquecimento do meio-campo e do ataque? No futebol estas coisas pagam-se por alto preço e, como na vida, não se pode ter “sol na eira e chuva no nabal”. Sobretudo quando os adversários “directos” se reforçaram, o Sporting com a contratação de jogadores “mais-valias” e o FC Porto com o regresso de jogadores emprestados com qualidade suficiente para fazer a diferença.

É claro que nada de nada está decidido, nem o título de “campeão de inverno” serve para alguma coisa. Mas “candeia que vai à frente alumia duas vezes”!

O que se espera desta segunda volta? Veremos como reagem os responsáveis no que aos “retoques” dos plantéis diz respeito. Para já, com algum “avanço”, os “leões” têm duas equipas de nível igual para atacar as quatro provas em que estão inseridos. Depois de Rúben Ribeiro, Wendel e Misic, estão na calha Marcelo (central do Rio Ave) e Raphinha (avançado do Vitória de Guimarães) e ambos com o desejo leonino de chegarem já este mês.

Quanto ao FC Porto, as limitações financeiras obrigam a enorme “ginástica”, sendo que a primeira preocupação é preservar quem está no plantel, recusar diálogos nesta altura e esperar que alguém possa surgir a “custo zero”.

Do Benfica, o silêncio quase total. Claro que há tempo, mas ou chega alguém que “pega de estaca” ou todos os dias que passam começam a ser “tarde demais”.

Isto tudo, claro, no que toca aos “candidatos ao título” porque, daqui “para baixo”, com o Sporting de Braga a marcar a fronteira, a confusão é mais do que muita.

 

Empates a fechar a 17ª jornada

Os dois jogos que fecharam a 17ª jornada da I Liga – Tondela-Vitória de Setúbal e Belenenses-Boavista – tiveram resultado igual 1-1: Os sadinos, que ainda não perderam com a nova direcção, foram buscar importante ponto a Tondela e os azuis, frente a um Boavista algo atrevido, estiveram em vantagem, mas os axadrezados lograram o empate mesmo ao cair do ano.

 

Jornalista profissional especialista em desporto