Miguel Botelho avisa que o Sporting “vai tentar surpreender” o Monte Carlo
Miguel Botelho avisa que o Sporting “vai tentar surpreender” o Monte Carlo

A Liga de Elite está mais emotiva. As “águias” sentem agora uma maior pressão, mas podem voltar às vitórias folgadas, defrontando o Lai Chi. O Monte Carlo encontra pela frente um Sporting a ganhar tranquilidade. O Chao Pak Kei regressa à actividade

 

Vítor Rebelo

 

Diminuiu a diferença pontual entre o líder da Liga de Elite, Benfica, e os rivais ao título, que neste início de segunda volta, já se resumem a Monte Carlo e Chao Pak Kei. O empate dos pupilos de Henrique Nunes, no domingo passado, diante do Ching Fung, torna o campeonato mais interessante, porque há maior pressão para o comandante, com os adversários directos a ganharem dois pontos e a readquirirem um maior índice de confiança.

Tanto Monte Carlo, como Chao Pak Kei, têm menos um desafio realizado, que será contra os Sub-23, tudo por causa da presença de alguns jogadores da equipa de William Long nos Jogos Nacionais da China. Uma dessas partidas (Monte Carlo-Sub 23) foi já agendada pela Associação de Futebol de Macau para 19 de Maio.

Se os “canarinhos” ganharem todos os jogos até lá e ultrapassarem os jovens Sub-23 no desafio em atraso, assumirão o comando da competição, continuando a sonhar com o título, que já foge desde a época de 2013, ano em que o Benfica iniciou o ciclo de três vitórias consecutivas.

Na primeira volta, o conjunto de Cláudio Roberto já esteve algumas semanas na frente da liga, vencendo os seus jogos e tirando partido do empate do Benfica com o Ching Fung, acabando depois por baixar à segunda posição, em virtude da derrota (pesada, 6-0) face às “águias”, à sexta jornada.

Há por isso agora uma nova expectativa até que as duas equipas voltem a defrontar-se, ainda que Monte Carlo tenha pela frente um calendário muito mais complicado do que o adversário.

Enquanto que o Benfica tem teoricamente os triunfos assegurados diante de Lai Chi, Sub-23 e Ka I, o mesmo não se poderá dizer em relação a dois dos três obstáculos do Monte Carlo: Chao Pak Kei e Kei Lun, a quem Neto, Leandro e companhia, ganharam na primeira volta por 2-0.

“O campeonato está na verdade mais interessante, depois do resultado algo inesperado entre o Benfica e o Ching Fung, equipa que parece ter encontrado uma fórmula de não perder com o Benfica. Na época passada a liga perdeu um pouco a graça com a caminhada do Benfica, mas desta feita tudo está mais equilibrado e nós temos de fazer a nossa parte”, começou por dizer ao JORNAL TRIBUNA DE MACAU, o treinador do Monte Carlo, Cláudio Roberto.

O Monte Carlo vem de uma vitória sobre o Ka I, com dois dos três golos a serem apontados nos minutos finais do desafio e agora é o Sporting a testar as capacidades de um “novo” Monte Carlo, sem um dos principais estrategas da primeira volta, o brasileiro Sadan, mas com o compatriota Keverson a ter finalmente a oportunidade de entrar de início em todos os jogos.

 

Sporting sobe de rendimento

Cláudio considera que o próximo adversário tem vindo a crescer: “O Sporting tem subido de rendimento nos últimos jogos com a chegada de mais estrangeiros. Eles estão mais encorpados do que aconteceu nas primeiras jornadas do campeonato. Por isso vamos ter de jogar ao mais alto nível para ganharmos”.

Do lado do Sporting, a equipa de Nuno Capela vem de um ponto conquistado diante de um dos adversários da “liga dos últimos”, a Polícia, estando agora com alguma tranquilidade, dispondo de seis pontos de vantagem sobre os da cauda da tabela, Lai Chi e Sub-23.

Na antevisão do desafio, Miguel Botelho reconhece que, “obviamente, o Monte Carlo não está no mesmo campeonato que nós e surge moralizado também pelo facto do Benfica ter empatado”. “Vamos tentar fazer uma boa prestação e procurar surpreender, embora sabendo da qualidade do Monte Carlo. Temos agora mais ambição e não estamos a perder pontos com os nossos adversários directos, isso é bastante importante.”

Para este encontro, os “leões” não podem utilizar o central Pedro Pires, que cumprirá um jogo de castigo por acumulação de cartões amarelos, ficando a dúvida de quem ocupará o lugar ao lado de Eric Peres no eixo da defesa.

 

CPK com maior confiança

Outro dos jogos de maior interesse da ronda é o Chao Pak Kei-Ka I, um “derby” entre formações locais, mas desta feita a pender, em termos de maior favoritismo, para o CPK.

“Estamos mais fortes e em melhor forma, depois de ter acabado a primeira volta. Vamos à luta a cem por cento, mantendo a nossa mentalidade de jogo-a-jogo e agora com mais ambição, pelo empate do Benfica contra o Ching Fung, que torna o campeonato mais interessante, com as três equipas da frente a lutarem pelo título”, palavras do defesa do Chao Pak Kei, Emanuel Noruega.

A equipa comandada por Leung Kuai Sang regressa assim  à actividade, depois de ter visto adiado o seu jogo com os Sub-23, agendado para o passado fim-de-semana.

O Ka I, que perdeu os dois primeiros jogos da segunda volta (Sporting e Monte Carlo), procura ir somando pontos para garantir a tranquilidade, mas o certo é que só tem mais três do que o Sporting.

“Esse desafio com o Sporting não estava nas nossas previsões, mas é futebol e temos de olhar para o que resta do campeonato. O Chao Pak Kei está mais forte do que na primeira volta e nós podemos fazer melhor que fizemos até aqui. Não vai ser fácil para eles”, afirma o médio nigeriano do Ka I, Christopher Nwaorou.

 

Benfica com adversário acessível

Kei Lun e Benfica têm os jogos teoricamente mais fáceis, no confronto com os últimos da classificação.

No que diz respeito ao líder provisório, uma vez que o Monte Carlo tem um jogo a menos, o treinador Henrique Nunes deixa a fórmula do costume: “Como em todos os jogos vamos entrar em campo com o pensamento em fazermos um bom jogo e alcançarmos a vitória. Todos os adversários merecem o nosso respeito e por isso encaramos os jogos e os adversários da mesma forma, sabendo que uns são mais fortes do que os outros. O Lai Chi não está tão forte como no ano passado, mas independentemente deste facto vamos fazer tudo para conseguirmos uma nova vitória e um bom jogo”.

Recorde-se que o Benfica goleou o Lai Chi na primeira volta por 8-0, voltando assim a ter todas as condições para ganhar e regressar às vitórias, depois do jogo menos conseguido de domingo passado, face ao Ching Fung, equipa que Henrique Nunes considerou já como sendo “a pedra no sapato do Benfica desta temporada”.

 

* Jornalista