Jonas está em dúvida para o jogo de Alvalade
Jonas está em dúvida para o jogo de Alvalade

No xadrez dos bastidores do “derby” joga-se “às escondidas”. Se nos “leões” todos estão prontos, no Benfica aponta-se Jonas como o centro de todas as dúvidas. Há várias leituras para tal cenário

 

Costa Santos Sr*

Não é de hoje nem de ontem que nas vésperas dos jogos caracterizados por “derbies”, há sempre algumas “nebulosas” para lançar, incertezas para vincar, no fundo, “ditos e mexericos” para adensar ainda mais a expectativa e a curiosidade do adepto da bola.

Nos “leões”, o que se diz “às claras” é que “tudo e todos estão com fome do derby” e a motivação, mesmo que não tenha a pressão de lutar pelo título, é alta, uma vez que uma vitória poderá, inclusive, poder fazer renascer o sonho de um apuramento directo para a “Champions”, muito embora não se deixe de colocar aqui um pouco de “utopia”, mesmo que a matemática indique tudo ser possível.

Não traçamos cenários, mas acreditamos que a I Liga Portuguesa de futebol não se esgotará neste encontro de Alvalade.

O Sporting não tem lesionados, mas um impedimento por acumulação de cartões amarelos (Zeegelaar) obrigará Jorge Jesus a mexer na estrutura defensiva, podendo socorrer-se de Bruno César desviando-o da posição em que tem actuado ou, por outro lado, deitar mão a Jefferson ou Esgaio. No resto, com Adrien, a caminho do seu melhor, Gelson e Podence a mostrarem serviço e a dupla – até que enfim, Jorge Jesus encontrou um duo artilheiro – Alain Ruiz-Bas Dost em grande momento, não há desculpas para o “comandante” não impor um futebol de ataque, por um lado, e de coesão defensiva, por outro.

Do lado encarnado, os últimos jogos têm revelado, acima de tudo, algum cansaço, fundamentalmente nas unidades nucleares do meio-campo. Surgiu agora Rafa – em boa hora – muito menos desgastado e já com ritmo competitivo nas pernas, o que constitui uma ajuda preciosa para Rui Vitória. Mas, o bloco defensivo tem escondido algumas deficiências, principalmente quando “atacado” em velocidade. Luisão já não tem pernas para grandes voos e, embora tenha a vantagem da experiência, e com ela um sentido posicional eficiente, precisa de muita atenção de quem o rodeia para uma ou outra “dobra” necessária.

No miolo, há muita gente de grande valor, mas que parece não estar num momento alto de forma. E, na frente, a dupla Mitroglou-Jonas, tem sido o “pão de cada dia” para a equipa. Mas, após ter sido substituído no encontro com o Marítimo, diz-se nos bastidores que Jonas é incógnita até à hora do jogo. É certo que nos dois primeiros treinos da semana não saiu do ginásio, o que, valha a verdade, poderá não querer dizer absolutamente nada.

Também há quem avance a teoria de que, indo o Benfica mais tranquilo classificativamente, e com a possibilidade de jogar para dois resultados – na pior das hipóteses, naturalmente – pode muito bem dar-se ao luxo de “poupar” Jonas, porque irá precisar dele nos quatro jogos que faltam, sobretudo em Vila do Conde e no Bessa. Nesse caso, Rui Vitória poderia mudar a estratégia e ter mais um homem no meio-campo. São futurologias…

Ninguém tenha dúvidas que quer Benfica, quer Sporting, se puderem colocar em campo os seus onzes mais “guerreiros”, não irão pensar nos jogos que restam cumprir. “Candeia que vai à frente alumia duas vezes”…

No que toca ao árbitro do encontro, a ser indicado mais tarde, apontamos para Artur Soares Dias, juiz internacional do Porto, por muitas e variadas razões, sendo a principal a sua competência.

 

* Jornalista profissional especializado em desporto