Portugal prepara duplo compromisso com Andorra e Suíça
Portugal prepara duplo compromisso com Andorra e Suíça

Um avião C-295 da Força Aérea Portuguesa está ao serviço da selecção nacional, transportando a comitiva até Andorra e aliviando as dores de cabeça de Fernando Santos

 

Costa Santos Sr*

 

Já descrevemos neste espaço o problema que dava grandes dores de cabeça ao seleccionador Fernando Santos: a viagem para Andorra (ida e volta), praticamente a 72 horas do decisivo encontro com a Suíça, no Estádio da Luz, no próximo dia 10, do Grupo B de apuramento para o Campeonato do Mundo de Futebol.

Em termos de aviação “comercial”, Andorra é servida pelo aeroporto de Barcelona, implicando uma viagem acrescida de autocarro que, à velocidade normal e com batedores, não demora menos de 3 horas e 30 minutos. Por outras palavras: sete horas de autocarro mais três horas de avião. Tudo isto tendo pelo meio um jogo, que se prevê intenso e em vésperas de outro confronto, esse com o rótulo, à priori, de decisivo!

Analisada a situação, surgiu a ideia de solicitar à Força Aérea Portuguesa o apoio necessário, isto é, que a viagem (ida e volta) se pudesse fazer no avião C-295, com capacidade para 70 passageiros, com a possibilidade do seu interior ser alterado de modo a proporcionar mais conforto à comitiva. Mas, o mais importante é que esta aeronave militar poderá aterrar no aeródromo de Seu D’Urgell, localidade distante de Andorra pouco mais de 25 quilómetros, situação que permitirá (se as condições meteorológicas ajudarem), inclusive, que a selecção nacional regresse a Lisboa na manhã de domingo e ainda faça um treino no relvado do Estádio da Luz.

O que poderá obstar a que esse plano seja cumprido, é a possibilidade de aparecer o crónico nevoeiro da zona. Esta aeronave, tripulada por dois pilotos especializados (o Presidente da República já tem feito viagens “internas” num destes aparelhos) não necessita de informações da torre de controlo, razão acrescida para a convicção que “irá resultar”. Se aparecer nevoeiro (essencialmente na viagem de ida), a solução será aterrar em Lérida e fazer o restante trajecto de autocarro. Fernando Santos acredita que estas horas extra não irão ser necessárias.

Acrescente-se que, neste avião, o trajecto de 1.200 km poderá ser feito em pouco mais de 3 horas, já que a velocidade de cruzeiro da aeronave não vai além dos 400 km/h.

 

Desmontar a “muralha”

Acreditamos que não irá ser um jogo “fácil”, como já foi considerado talvez pelo pouco poder da selecção anfitriã. Quando as forças são tão diferentes, é normal a mais “fraca” remeter-se a uma defesa porfiada, com todos os seus jogadores atrás da linha da bola, exigindo arte, frieza e capacidade de sofrimento ao adversário. Pensamos que irá ser um jogo assim.

A selecção portuguesa tem armas de sobra para ultrapassar o adversário, mas é necessária muita paciência paras “desmontar” os “blocos” adversários e não permitir que a ansiedade tome conta das cabeças, com a particularidade de ter em atenção os lances “menos pacíficos” e a amostragem de amarelos. É que há jogadores portugueses em risco (Cristiano Ronaldo, Pepe e William Carvalho) e que serão imprescindíveis para o confronto com a Suíça!

Fernando Santos convocou para estes dois jogos, os seguintes jogadores: Ruí Patrício, Beto e Anthony Lopes (guarda-redes); Cédric, Bruno Alves, Eliseu, José Fonte, Pepe, Neto, Nélson Semedo e Antunes (defesas); André Gomes, Bruno Fernandes, Bernardo Silva, João Moutinho, João Mário, Danilo Pereira, William Carvalho e Renato Sanches (médios); André Silva, Cristiano Ronaldo, Éder, Gelson Martins, Gonçalo Guedes e Quaresma (avançados).

Em Andorra, a equipa provável inclui Rui Patrício, Cédric, Bruno Alves, Pepe e Eliseu; William Carvalho, Bruno Fernandes, João Moutinho e João Mário; André Silva e Ronaldo.

 

*Jornalista profissional especialista em desporto