CHINA/EUA

A China afirmou-se ontem receptiva ao “corredor indo-pacífico” lançado pelo Presidente dos Estados Unidos, mas expressou o desejo de que a iniciativa “não se dirija contra” nem “exclua” países terceiros, segundo destacou o porta-voz do Ministério dos Negócios Estrangeiros, Geng Shuang, em conferência de imprensa.

 

INDONÉSIA

Uma estátua de cera de Adolf Hitler foi removida de um museu em Jacarta, após protestos de grupos de direitos humanos. A estátua tinha sido colocada em 2014 no “Mata Trick Eye Museum”, cuja especialidade é montar cenários com efeitos 3D para os visitantes tirarem fotos com ilusão de óptica. A estátua de Hitler ficava diante de um painel do campo de concentração de Auschwitz.

 

BANGLADESH

O governo de Bangladesh contabilizou 36 mil crianças órfãs entre os mais de 600 mil “rohingyas” que chegaram ao país desde 25 de Agosto, número seis vezes superior ao estimado inicialmente em Setembro, informou a vice-directora do Departamento de Serviços Sociais, à Agência EFE.

 

ÍNDIA

Uma locomotiva, sem maquinista nem passageiros, percorreu sozinha 13 quilómetros na Índia, depois dos técnicos não terem desligado um motor que tinham acabado de instalar. Um funcionário da companhia ferroviária acompanhou de moto todo o percurso e conseguiu parar a locomotiva, evitando um desastre.

 

AUSTRÁLIA

O Primeiro-Ministro australiano, Malcolm Turnbull, afirmou que não convocará eleições gerais depois de um novo caso de dupla cidadania ter derrubado outro deputado do Partido Liberal Conservador, John Alexander, deixando o seu governo dependente do apoio de dois independentes.

 

PORTUGAL

O número de mortos por “legionella” no surto do Hospital São Francisco Xavier, em Lisboa, subiu para cinco, anunciou a Direcção-geral da Saúde (DGS). Os últimos dados da DGS apontam para 46 casos confirmados desde 31 de Outubro, 27 (59%) do sexo feminino, 33 (72%) com idade igual ou superior a 70 anos.

 

ALEMANHA

O apoio aos conservadores da Chanceler Angela Merkel caiu para 30%, o nível mais baixo em mais de seis anos, segundo uma pesquisa publicada pelo jornal “Bild am Sonntag”, em vésperas de novas negociações sobre um acordo de coligação com o Partido Verde e outra força pró-empresarial.

 

SÍRIA

O Estado Islâmico retomou o controlo da cidade de Bukamal, próxima da fronteira com o Iraque e cuja conquista havia sido anunciada pelo Exército e seus aliados, anunciou o Observatório Sírio de Direitos Humanos (OSDH). “As forças do regime e as milícias aliadas estão agora a um ou a dois quilómetros da periferia da cidade”, afirmou o director do OSDH.