PORTUGAL

O ex-Presidente Jorge Sampaio, foi submetido a uma “intervenção cirúrgica de urgência “há dias”, devido a “problemas acrescidos de mobilidade” Segundo uma fonte citada pela Lusa, que não especificou em que hospital se realizou esta cirurgia, “a intervenção correu bastante bem” e o antigo chefe de Estado encontrava-se “a convalescer dentro do que estava previsto”. Jorge Sampaio, vai fazer 78 anos no dia 18 de Setembro.

 

VATICANO

O Papa Francisco disse que o ser humano é “estúpido” por duvidar dos efeitos das mudanças climáticas no mundo, ao falar aos jornalistas durante ovoo de retorno à Itália após a visita oficial à Colômbia. “Por que demoram para ter consciência dos efeitos das mudanças climáticas?”, questionou o líder católico. “Isso me faz lembrar de uma frase do Antigo Testamento: ‘O homem é um estúpido'”, criticou.

 

FILIPINAS

Dois jovens irmãos morreram ontem, na sequência de um deslizamento de terras nas Filipinas, onde as fortes chuvas causadas por uma depressão tropical também provocaram inundações na capital em províncias vizinhas. Os mercados financeiros, os departamentos públicos e as escolas estiveram encerrados devido à intempérie que levou ainda ao cancelamento de uma série de voos.

 

CHINA-I

Em Pequim e em Xangai houve grandes filas de clientes à espera que a Apple pusesse à venda o “iPhone 8”, esperando que as conotações auspiciosas do número 8 na China ajudem a mudar a sorte do dispositivo no maior mercado para telefones inteligentes do mundo, após seis trimestres de queda nas vendas. O sucesso deste iPhone no país asiático é crucial para a empresa norte-americana, que viu a sua marca cair para a quinta posição no mercado chinês, atrás de modelos das rivais locais Huawei Technologies, Oppo, Vivo e Xiaomi.

 

CHINA-II

Um tribunal de Xinjiang condenou um homem a dois anos de prisão, por ensinar o Alcorão a amigos e familiares numa aplicação de mensagens instantâneas. De acordo com a imprensa estatal Huang Shike, de 49 anos, foi considerado culpado de “usar ilegalmente informação e a Internet”, e “perturbou as ordens administrativas para a actividade religiosa normal” e “prejudicou gravemente a sociedade”, sublinhou o Tribunal.

 

BANGLADESH

O  número de muçulmanos Rohingyas que se refugiaram no Bangladesh para escapar à violência em Myanmar superou a barreira dos 300 mil em pouco mais de duas semanas, estimou a ONU, denunciando um “exemplo clássico de limpeza étnica”. A questão vai ser hoje debatida pelo Conselho de Segurança das Nações Unidas, a pedido do Reino Unido e da Suécia.

 

BÉLGICA

O prefeito de Mouscron, cidade belga próxima da França, foi encontrado degolado na segunda-feira num cemitério da cidade, confirmou a agência de notícias belga citando o procurador de Mons, Christian Henry, que relatou a prisão de um suspeito. O corpo de Alfred Gadenne, 71 anos, foi encontrado no cemitério situado perto da sua residência.

 

ALEMANHA

A polícia alemã procura uma pessoa, cuja identidade é desconhecida, que teria atirado um spray tóxico no hall de check-in do Terminal 1, por volta das 11h locais. Pelo menos seis pessoas apresentaram sintomas de irritação nos olhos e nas narinas devido ao contacto com o gás, mas os passageiros entraram em pânico no terminal. A área do aeroporto foi fechada temporariamente e o funcionamento já voltou ao normal.

 

BOLÍVIA

O governo da Bolívia está a organizar uma grande acção popular a realizar em Outubro no local onde foram encontrados em 1997 os restos do guerrilheiro argentino-cubano Ernesto Che Guevara para lembrar os 50 anos da sua morte. “Com este acto de massas mostraremos que na Bolívia o pensamento de Che, a sua obra e o seu legado se mantêm vivos e que nós seguimos o exemplo de Che “, declarou o vice-ministro de Coordenação com Movimentos Sociais, Alfredo Rada.

 

ESPANHA

Cerca de 1 milhão de catalães reuniram-se no centro de Barcelona na segunda-feira levando bandeiras com listas vermelhas e amarelas e batendo tambores para demonstrar apoio à independência da Catalunha, depois do governo central de Madrid ter interposto acção no Tribunal Constitucional para impedir um referendo sobre a separação da região da Espanha. O dia 11 de setembro marca o ‘Diada’, o dia nacional da Catalunha, que comemora a queda de Barcelona diante da Espanha em 1714 e tradicionalmente é usado pelos activistas pró-independência para pedir a independência daquela região.

 

REINO UNIDO

O parlamento britânico aprovou na noite de segunda-feira o projecto de lei governamental para acabar com a supremacia do direito europeu no Reino Unido. Depois de várias horas de debate, os deputados da Câmara dos Comuns votaram favoravelmente ao texto com 326 votos, enquanto 290 votaram contra. O projecto de lei deve agora ser estudado em detalhe pelos deputados.

 

ARÁBIA SAUDITA

As autoridades da Arábia Saudita desarticularam um plano terrorista que tinha como objeCtivo atacar duas sedes do Ministério da Defesa e constituída por dois “terroristas suicidas” do Iémen, informou ontem a agência oficial saudita “SPA”. Após a operação policial, as forças de segurança prenderam dois “kamikazes”, de nacionalidade iemenita, identificados como Ahmed Yaser al-Kaldi e Ammar Ali Muhammad, embora esses nomes diferem dos bilhetes de identidade que traziam, diz a fonte.

 

ARGENTINA

Benjamin Netanyahu pediu para “apagar o terrorismo” numa homenagem a vítimas de dois atentados na Argentina, ao iniciar a primeira visita à América Latina de um Primeiro Ministro em exercício desde a fundação do Estado de Israel, com o objectivo de promover relações comerciais e diplomáticas. Netanyahu já teve um encontro privado com a comunidade judaica argentina, de cerca de 300 mil membros, a segunda maior das Américas atrás da dos Estados Unidos.

 

TURQUIA

Um tribunal turco manteve cinco funcionários do jornal de oposição Cumhuriyet sob detenção, num julgamento que críticos do presidente Tayyip Erdogan condenaram como um ataque à liberdade de expressão. O tribunal informou que os correspondentes e executivos do jornal, alguns já detidos há 10 meses, devem permanecer em detenção até que sejam apresentadas mais provas.