JAPÃO

O Japão alcançou em 2016 o valor recorde de 24,04 milhões de turistas estrangeiros, o que representa uma subida anual de 22%. Segundo o Ministério do Turismo, o aumento das escalas de cruzeiros e as novas rotas aéreas favoreceram a superação, pela primeira vez, da barreira dos 20 milhões de turistas.

 

TIMOR-LESTE

O Parlamento Nacional aprovou por unanimidade uma resolução em que formaliza a intenção de Timor-Leste suspender o Tratado sobre Determinados Ajustes Marítimos no Mar de Timor, assinado em 2006 com a Austrália, deixando em vigor o tratado original assinado em 20 de Maio de 2002.

 

POLÓNIA

O partido conservador Lei e Justiça (PiS) desistiu de aplicar restrições ao acesso de jornalistas ao Parlamento polaco e convidou a oposição para discutir o impasse. O PiS (no poder) abriu uma crise política ao anunciar a intenção de proibir gravações de sessões parlamentares, excepto de cinco canais de televisão previamente seleccionados, e permitir a entrada de apenas dois jornalistas por órgão de comunicação.

 

PORTUGAL

Os portos comerciais portugueses bateram um novo recorde no volume de mercadorias transportadas até Novembro, atingindo os 85,4 milhões de toneladas de carga, com Sines a reforçar a liderança, com um quota de 54,8%, refere um relatório da Autoridade da Mobilidade e dos Transportes.

 

ALEMANHA

A Procuradoria de Düsseldorf responsabilizou apenas o co-piloto Andreas Lubitz pela catástrofe do avião da “Germanwings” que, em Março de 2015, colidiu deliberadamente contra os Alpes franceses com 150 pessoas a bordo. Segundo o jornal “Süddeutsche Zeitung” e a televisão regional “WDR”, nenhum dos médicos que trataram Lubitz antes da tragédia previu riscos de suicídio, ao contrário do que sugeriram familiares das vítimas.

 

COSTA DO MARFIM

O Primeiro-Ministro da Costa do Marfim, Daniel Kablan Duncan, apresentou a sua renúncia e de todo o governo devido à incompatibilidade fixada pela nova Constituição, que impede os deputados de serem membros do Executivo. Segundo fontes oficiais citadas pela agência EFE, a demissão não está relacionada com a revolta militar ocorrida no fim-de-semana.

 

GÂMBIA

Os países da África Ocidental anunciaram o envio de uma nova missão à Gâmbia, onde 12 embaixadores gambianos que apoiaram o Presidente eleito, Adama Barrow, foram destituídos por Yahya Jammeh, que não quer ceder o poder. Jammeh, no poder há mais de 22 anos, anunciou a 9 de Dezembro que afinal não reconhecia a sua derrota, uma semana após ter felicitado Barrow pela vitória.

 

VENEZUELA

O Parlamento venezuelano, dominado pela oposição, declarou o presidente Nicolás Maduro em “abandono de cargo”, ao responsabilizá-lo pela grave crise no país, embora a Justiça tenha determinado que o órgão legislativo é incompetente para destituí-lo. O líder da bancada do governo, Héctor Rodríguez, classsificou a iniciativa como um “acto de insensatez e irracionalidade”.