A cidade de Veneza pretende testar em breve sistemas para “contar pessoas” com o intuito de regular o fluxo de turistas

 

A Câmara Municipal de Veneza decidiu implementar medidas para limitar ou ao menos melhorar o acesso à cidade. Nesse sentido, aprovou a instalação de sistemas de contagem de turistas em zonas estratégicas, incluindo nas pontes da Constituição e dos Descalços, em três pontos usados para a travessia do Rio Novo e locais de embarque das “lanchas” turísticas.

O plano, que ainda deverá ser avaliado pelo governo italiano e pela UNESCO, também prevê a criação de novas “áreas de descanso” para os turistas, que serão inseridas num mapa temático, o lançamento de uma grande campanha de divulgação sobre os dias de maior movimento em Veneza com base em dados de 2015 e 2016 e o reforço do número de agentes policiais destacados diariamente pelas autoridades municipais.

“Esta é uma medida muito esperada com a qual a administração municipal dá respostas concretas ao tema da gestão dos fluxos turísticos”, destacou o “mayor” de Veneza, Luigi Brugnaro, citado pela agência ANSA.

“Conforme pedido também pelo Comité do Património Mundial da UNESCO, conseguimos individualizar uma série de acções para regular os fluxos turísticos e torná-los compatíveis com a vida quotidiana dos cidadãos residentes, além de promover o início de uma campanha internacional de sensibilização vinculada à protecção das especificidades venezianas e à valorização de novos itinerários turísticos que envolvam todo o território metropolitano”, explicou ainda Brugnaro.

Em Dezembro, a Câmara de Veneza já tinha proibido os turistas de conduzirem bicicletas pelo Centro Histórico, por forma a acabar com o bloqueio das pequenas ruas entre os canais da cidade e garantir uma circulação livre e segura para os pedestres.

A cidade dos canais tem sofrido um êxodo populacional devido ao elevado número de turistas, estimando-se que, em média, 2,6 pessoas abandonem a cidade a cada dia. Em contrapartida, Veneza acolhe cada vez mais turistas integrados em viagens de cruzeiro. Segundo dados oficiais, cerca de 600 cruzeiros navegam pelo Canal de Giudecca por ano, apesar de diversos especialistas advertirem que esses “gigantes” podem danificar a já frágil estrutura arquitectónica da cidade.

 

JTM com agências internacionais