Mais de 160 pessoas foram detidas na Itália e na Alemanha durante uma vasta operação contra a máfia calabresa. Entre os detidos figura o presidente da província de Crotone, Nicodemo Parrilla, bem como vários gerentes e funcionários locais, num duro golpe contra a poderosa organização, com ramificações nos sectores económicos-chave dos dois países, onde obrigavam empresários, entre donos de restaurantes, pizzarias e padarias a comprar os seus produtos. As autoridades apreenderam produtos no valor de 50 milhões de euros, segundo os investigadores coordenados pela Direcção Anti-Máfia de Catanzaro (sul da Itália). A poderosa rede operava principalmente na região de Ciró Marina, no extremo sul da Itália, onde se infiltrou em sectores rentáveis como a produção de vinho, azeite de oliva e farinha, bem como na recolha e reciclagem de lixo, serviços funerários e lavandarias. A organização era liderada por Giuseppe Farao, de 70 anos, que cumpre uma pena de prisão perpétua, mas continuava a instruir filhos, netos e associados, através da prisão.