A Casa Branca classificou como “falsa” uma notícia do jornal “Washington Post” que indica que o Presidente Donald Trump revelou informação secreta sobre o Estado Islâmico ao Ministro dos Negócios Estrangeiros russo, Sergei Lavrov. O conselheiro de Segurança Nacional da Casa Branca, general H.R. McMaster, assegurou que Trump não revelou “fontes, métodos ou operações militares” a Lavrov, apesar do jornal não falar disso no seu artigo. Segundo o “Post”, o Presidente dos EUA disponibilizou a Lavrov informação relacionada com a possibilidade de os extremistas utilizarem computadores portáteis para realizarem algum tipo de ataque terrorista em voos comerciais, afirmações que McMaster mencionou no desmentido. Esta informação foi proporcionada por um país aliado dos EUA e o seu conteúdo é de tal forma secreto que outros parceiros não tiveram acesso a ele, segundo fontes citadas pelo “Washington Post”. “Eu estava lá, não aconteceu”, insistiu McMaster, que no entanto admitiu que Trump e Lavrov falaram sobre um “conjunto de ameaças comuns”, incluindo “ameaças à aviação comercial”. O “New York Times” também publicou informações ao “Post”, salientando que, embora o Presidente tenha poder para desclassificar todas as informações, a partilha de dados com os russo afecta a relação com um dos países – não identificado – que colaboram com Washington no combate ao terrorismo.